Dinâmicas do Reino de Deus

“[Jesus] prosseguiu dizendo: O Reino de Deus é semelhante a um homem que lança a semente sobre a terra. Noite e dia, quer ele durma quer se levante, a semente germina e cresce, embora ele não saiba como.” (Marcos 4.26,27)

O Evangelho de Marcos dedica-se quase que totalmente às ações, aos feitos de Jesus. Muito pouco é registrado sobre seus ensinos. Foi o primeiro a ser escrito e também é este o Evangelho que inaugura o estilo literário que ficou conhecido como “evangelho”. Marcos serviu como fonte primária para os evangelhos de Mateus e Lucas. Os versos de hoje são peculiares, por duas razões: é o registro de um ensino de Jesus (o que é muito pouco frequente neste Evangelho) e é um ensino que só é narrado nele, no Evangelho de Marcos. O texto fala do Reino, comparando-o com algo que seus ouvintes conheciam muito bem: a semeadura. Nele Jesus salienta ou anuncia que podemos participar dos movimentos do Reino de Deus e, ao mesmo tempo, nos faz perceber que também este Reino tem vida própria e cumpre desígnios soberanos das determinações de Deus.

O Reino de Deus é semelhante a um homem que lança a semente sobre a terra! Podemos e devemos ser parte dos caminhos, manifestações e realizações que tornam o Reino de Deus uma realidade presente em meio à vida humana. Nossas atitudes, nosso testemunho, a partilha que fazemos do Evangelho, o amor, o cuidado, o bom exemplo que podemos ser, são formas como podemos ser esse homem que lança a semente. Podemos fazer isso das mais variadas maneiras e usando os mais variados meios. Nesses tempos de pandemia o ambiente virtual tem sido maximamente usado por todos nós. Temos hoje inúmeros meios de comunicação disponíveis. Como e para que nós cristãos os temos usado? Como podemos “lançar mais sementes” aproveitando cada um deles? Como podemos proclamar a justiça, lutar pela retidão, comunicar o amor e a graça de Deus? Todos podemos ter um papel na manifestação do Reino de Deus.

Mas o Reino é de Deus, e não nosso. Se o que semeamos for de fato sementes do Reino de Deus, frutificarão para o Reino de Deus. Mas devemos ter cuidado pois podemos ter nas mãos sementes que levam consigo, não o Reino de Deus, não o Evangelho, mas apenas nossa própria visão, sonhos e anseios egoístas – ainda que em nome de Deus! Podemos ter nas mãos sementes de nossa religiosidade que, na verdade, desrespeita o Evangelho e pretende tornar o outro “um de nós”, sob pena de ser desprezado. Quando semeamos a semente do Evangelho, entra em ação os misteriosos caminhos que não podemos controlar. O Espírito Santo realiza com nossa frágil e pequena contribuição algo de valor eterno. Não para nossa glória, mas para a glória de Deus! E nem tudo crescerá e frutificará aos nossos olhos. Nem tudo seguirá nossa planilha religiosa. O Reino de Deus  não cabe em nossa pequena religião com suas demandas. De alguma maneira fomos treinados para conduzir as coisas e não para seguirmos o Espírito. Precisamos aprender mais, e o caminho é semear. Por isso, diariamente, estenda a mão e lance a semente. Semente do Reino, do Evangelho. Deixe o restante com o dono do Reino. Observe. Aprenda. Cresça!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui