Dilma critica crise da água em SP; Aécio destaca depoimentos de familiares

O programa eleitoral da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, criticou na noite deste domingo (19) a situação do abastecimento de água em São Paulo. O candidato do PSDB, Aécio Neves, aproveitou os dez minutos seguintes para apresentar depoimentos de familiares sobre ele.

Dilma
Segundo o programa de Dilma, pelo menos dois estudos, um de 2004 e outro de 2013, já alertavam para o risco de crise no fornecimento de água no estado, mas “só após a eleição, a população de São Paulo ficou sabendo da gravidade”.

“Há meses venho tentando ajudar, mas o governo não demonstrou interesse em fazer obras com o nosso apoio”, declarou Dilma. “Em uma prova da nossa disposição, estamos liberando, pela Caixa Econômica Federal, com juros subsidiados, R$ 1,8 bilhão para a construção do sistema produtor de água São Lourenço. Esse sistema vai produzir no médio prazo mais água para a Grande São Paulo”, declarou.

De acordo com o programa da candidata petista, em vez de fazer investimentos, a companhia de água de São Paulo, a Sabesp, priorizou a distribuição de mais de R$ 4 bilhões em lucros para acionistas. “O governo federal está disposto a ajudar em tudo o que for preciso para tirar a população de São Paulo dessa situação dramática”, disse a presidente.

O programa relacionou o problema ao modelo de gestão do PSDB e indagou: “É assim que Aécio e os tucanos querem mudar para melhor o Brasil?”. Também apresentou o depoimento do deputado estadual do Rio de Janeiro Marcelo Freixo (PSOL), que manifestou apoio a Dilma. “Sempre tive muitas críticas ao governo do PT, mas a candidatura de Aécio representa um dos maiores retrocessos. No segundo turno, meu voto é um veto a Aécio. Meu voto é Dilma”, declarou.

Aécio
O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, aproveitou o programa na televisão deste domingo à noite para mostrar o depoimento de familiares. A mulher, Letícia, afirmou que o candidato tem uma simplicidade que a encanta, enquanto a mãe, Inês, disse que ele é uma pessoa conciliadora, que conversa muito e que não tem inimigos, mas sim “adversários”. “Eu lembro dos Natais com a família, dele me levando no Mineirão para torcer pelo Cruzeiro e da gente ensaiando para dançar valsa com 15 anos”, disse a filha.

O candidato declarou ainda que todos pais querem o melhor para seus filhos e disse que, quando governou Minas Gerais, foram criadas várias ações para as mães, como o programa “Mães de Minas”, que acompanha gravidez e o primeiro ano do bebê. “Fomos o primeiro estado do Brasil a trazer as crianças para a escola aos 6 anos. O ensino fundamental de Minas é o melhor do Brasil. Para governar direito, tem de ter planejamento, pensar em cada etapa do que precisa ser feito e fazer”, afirmou ele.

“Eu tenho viajado muito e tenho recebido em todos lugares o apoio de pais, mães, avós e tenho ouvido a grande preocupação de todos eles sobre o caminho que o Brasil tomou. Tenho encontrado famílias que estão inseguras em relação ao futuro, principalmente em relação ao futuro de seus filhos. A mudança que o Brasil precisa já começou”, disse Aécio, ao lado de sua esposa Letícia.

O programa também falou de propostas para segurança pública, dizendo que Aécio vai controlar mais rigorosamente as fronteiras, sobre o enfrentamento da pobreza, por meio do programa “Família Brasileira”, e sobre a saúde, com a criação de consultórios populares para acabar com a demora nas consultas com especialistas. Para a educação, o programa informou que a estratégia é estimular os alunos a concluírem o ensino médio depositando um valor financeiro anualmente, que poderá ser sacado ao fim.

 

 

 

Fonte: G1

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui