Dia do Comerciário: cerca de 5 mil pessoas estão empregadas no comércio teixeirense

Hoje, 30 de outubro, é Dia do Comerciário, data criada para comemorar as conquistas dessa classe, hoje, imprescindível à economia do País.

O comércio teixeirense emprega mais de 5 mil pessoas. Foto: Teixeira News

Contextualizando, no início do século XX, as condições de trabalho para os comerciários eram completamente abusivas. Os trabalhadores faziam jornadas de 12 horas por dia, sem feriados ou mesmo folgas aos domingos. Com o passar do tempo, eles começaram a criar pequenos grupos e associações de apoio, que acabariam por se tornar os atuais Sindicatos Trabalhistas.

Tais manifestações e associações começaram a se espalhar por todos os estados do país. Até que, segundo o site Brasil Escola, no dia 29 de outubro de 1932 houve uma grande manifestação na cidade do Rio de Janeiro (RJ), os manifestantes foram recebidos pelo presidente Getúlio Vargas, que aceitou as reivindicações dos trabalhadores e assinou o Decreto de Lei nº 4.042, de 29 de outubro de 1932, determinando a jornada de trabalho para 8 horas por dia e o repouso remunerado aos domingos para todos os comerciantes.

A Lei foi publicada no Diário Oficial da União no dia 30 de outubro de 1932, sendo reconhecida esta data pela presidente Dilma Rousseff, em 2013, como o Dia Oficial do Comerciário.

Teixeira de Freitas, cujo comércio é pujante e responsável por empregar parcela considerável da população local, não terá comemoração neste dia, conforme informou José Carlos Cabral de Carvalho, o Zé Carlos, integrante do Conselho Fiscal do Sindicato dos Empregados no Comércio (Sindec) de Teixeira de Freitas, em conversa telefônica com OSollo na manhã desta segunda-feira (30).

José Carlos Cabral de Carvalho, membro da Diretoria do Sindec. Foto: Liberdade News

Para ele, “os trabalhadores do comércio teixeirense têm mais o que protestar do que comemorar, uma vez que os patrões de Teixeira estão irredutíveis quanto ao aumento salarial solicitado pelos comerciários, bem como querem tirar os direitos conquistados, com muita luta, há 20 anos, por meio das convenções”. Zé Carlos também comentou que a classe tem muitas razões para lamentar, sobretudo após a reforma trabalhista, que veio “oprimir os trabalhadores brasileiros”.

O município tem, aproximadamente, 5 mil pessoas trabalhando no comércio. O perfil destes comerciários é que, em sua maioria, estão na faixa etária de 25 a 30 anos, sendo os setores de artigos de presentes e supermercados com mais postos de trabalho ocupados – o primeiro, por estar em maior quantidade no comércio, o segundo, por razões ligadas ao tamanho do empreendimento e a consequente necessidade de empregar mais pessoas em seu funcionamento.

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui