Da imprensa

Esse escriba lê, com preocupação, em alguns blogs de comentaristas regionais, a defesa de prefeitos que tomaram posse no dia 1o. de janeiro. Ressalve-se que nada demais existe em elogios justos aos novos gestores. Mas, o que deixa a preocupação, é ver que aqueles que criticam são chamados, entre outras coisas, de blogueiros vendidos. Ora, há que se ter espaço para quem defende e para quem critica. Essa desclassificação, de qualquer lado que surja, não coopera para a liberdade de imprensa. Claro está que há profissionais que se vendem aos interesses financeiros, tanto para criticar, quanto para elogiar. O que não se pode é misturar todo mundo no mesmo saco de maldades dos vendilhões.

Vamos perder o complexo de vigilantes da imprensa: quem nos vigia é o povo.

Do fogo amigo

Um dos maiores temores dos eleitos em outubro último é o fogo amigo. Como não dá para se chamar todo mundo que trabalhou nas campanhas, sempre sobram alguns que ficam injuriados e passam a atacar o eleito. Isso sem falar em correligionários que, dentro da própria administração, passam a criticar o governo. Também existe o fogo amigo dos partidos aliados, que, ao não serem contemplados como achavam que deviam ser, se enfurnam em uma oposição camuflada, a mais perigosa possível.

Há muitas pedras no caminho, mas o fogo amigo é o que há de mais perigoso.

O PT que o diga.

Robério X Guerrieri

Parece que o ex-prefeito de Eunápolis, Robério Oliveira e o atual, Neto Guerrieri, recolheram as armas e voltaram a se unir. A reunião aconteceu no último final da semana e arestas foram amparadas, além de equívocos serem esclarecidos.

Melhor para os dois, melhor para Eunápolis.

Cura para a Down

Está chegando ao Brasil um novo e revolucionário método para o tratamento da Síndrome de Down. As crianças portadoras da síndrome convivem, além da disfunção, com uma perspectiva forte de virem a desenvolver doenças cardíacas. O novo método de tratamento foi desenvolvido nos Estados Unidos, onde se revelou de alta eficiência. Além de experimentos científicos, o método traz uma informação que não chega a ser novidade: para o tratamento da Down é preciso que a criança viva integrada à comunidade e que não haja discriminação.

Tomara que o método dê certo.

Nova diretoria

O HOSPITAL MUNICIPAL DE Teixeira de Freitas tem nova diretoria. Os nomes são bons, como se pode ver em reportagem no SOLLO. O que causa medo é a situação da saúde, com um rombo que, segundo o secretário, passa de 9 milhões. Fala-se em auditar a dívida, que não pára de crescer.

A situação é grave, mas não desanima a administração.

Do fim com Neruda

“Era o meu coração uma asa viva e turva

E pavorosa asa de anelo.

Era primavera sobre os campos verdes.

Azul era a atura e era esmeralda o chão.

Ela – a que me amava- morreu na primavera.

Recordo ainda os seus olhos de pomba em desvelo.

Ela- a que me amava – fechou os olhos. Tarde.

Tarde de campo, azul. Tarde de asas e voos.

Ela – a que me amava – morreu na primavera

E levou a primavera para o céu.” (Pablo Neruda, em Crepusculário)

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui