Crimes

“Entre a justiça e minha mãe, eu prefiro a minha mãe”

Acho bem triste que haja tantos crimes, tantas pessoas presas, tantas famílias desfeitas, tantos feminicinios. Existem milhares de pessoas culpadas nas prisões, mas muitas inocentes também, uma cama e acima um teto branco num espaço vazio.

Culpado? Inocente? É preciso esforço para entender o mundo tal como ele é, a realidade das coisas, com corrupção, poder e dinheiro. Sendo a vida essencialmente um estado mental, e tudo, quanto fazemos ou pensamos, válido para nós na proporção do que pensamos, depende de nós a valorização, então qual o seu estado mental sobre justiça quando pensa nestes nomes? Sérgio Moro, Lula, Lava-Jato, Odebrecht, Gedel, ministros do Supremo etc.

Penso que para a maioria dos brasileiros existe, acima de tudo, um sentimento de descrédito na justiça, de nossa impotência perante o que de fato é fazer justiça, lembrando a corrupção que existiu, já que os fatos reais, foram reais mas são como ondas, não há duas ondas ou fatos iguais. Se formaram de acordo com diversas condições, e estes momentos de acabar com a corrupção, estão morrendo como espuma que morre na areia da praia.

João Misael Tavares Lantyer

Nota: O conteúdo aqui publicado é de inteira responsabilidade do colunista que assina o texto.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui