Criada para Copa, Secopa segue funcionando e custa quase R$ 400 mil por mês aos cofres públicos

“Governo pensa no ser humano, e nós não podemos pensar em dispensar sem um processo de realocação ou de mercado”, diz Campello

A Copa do Mundo de 2014 acabou há cerca de dois meses, mas a Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 continua funcionando na Bahia e em outros seis estados brasileiros. O órgão custa, em média, quase R$ 400 mil aos cofres públicos e só será extinta no dia 31 de dezembro.

Em entrevista ao “Bom Dia Brasil”, da TV Globo, o secretário da pasta, Ney Campello, comentou o assunto. “Este governo é um governo que pensa no ser humano, e nós não podemos pensar em dispensar sem um processo também de realocação ou de mercado, e isso pode ser feito, ou mesmo de aproveitamento, em algum órgão de estado que tenha interesse nestes colaboradores”, afirmou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assim como em Salvador, as secretarias alocadas em Natal, Cuiabá e Belo Horizonte manterão as atividades até o fim do ano. A Secopa de BH, por sua vez, virou Coordenadoria Especial da Copa do Mundo.Em Manaus, não há previsão para fechamento da secretaria, enquanto que em Porto Alegre a previsão é fechar neste mês de setembro.

O caso mais inusitado é o da secretaria do Ceará, que está sob investigação do Ministério Público. A secretaria, que agora se chama Secretaria Especial de Grandes Eventos, vai funcionar em Fortaleza até os Jogos Olímpicos de 2016.

 

 

Fonte: Correio

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui