Covid-19: Bahia cobra autorização da Sputnik V à Anvisa

Lote de vacina chega à Argentina (Foto: Casa Rosada/Fotos Públicas)
Lote de vacina chega à Argentina (Foto: Casa Rosada/Fotos Públicas)

Com 70 milhões de doses prometidas pela Rússia, a Bahia está pressionando a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para liberar o registro que autoriza a aplicação da Sputnik V no Brasil.

A vacina contra a covid-19 produzida pelos russos foi a primeira registrada no mundo e, na fase 3, demonstrou 91,6% de eficácia. País vizinho, a Argentina começou aplicar a primeira dose da vacina na população ainda em 2020. Em, janeiro, passou a aplicar a segunda dose.

“O México se torna o primeiro país da América do Norte a registrar a Sputnik V. Até quando o Brasil vai manter barreiras injustificáveis, Anvisa?”, questionou o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, acrescentando que, até o momento, não houve “nenhuma morte ou hospitalização devido a Covid-19 nos braços da vacina em mais de 75 mil participantes”.

Por meio de publicação no Twitter, Vilas-Boas também cobrou que outras entidades acompanhem a Anvisa. Ao longo da pandemia, a agência tem sido criticada pela demora em adotar medidas e em aprovar vacinas contra a doença.

“Onde estão os tribunais de ética em pesquisa? Cadê a CONEP [Comissão Nacional de Ética em Pesquisa do Conselho Nacional de Saúde]? Como é possível a Anvisa exigir a realização de ensaio clínico de fase 3 de vacinas Covid-19 em brasileiros, nos dias atuais, quando já há vacinas eficazes? Isso é inaceitável do ponto de vista da bioética”, disse.

Fonte: Bahia.ba

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui