Construção da Marina é anunciada no dia do aniversário da cidade

(Foto: João Cordeiro)
Porto Seguro teve mais um motivo para comemorar nesta quarta-feira, 30 de junho.

Além do aniversário de 119 anos de emancipação política, a cidade conheceu o projeto da Marina Arraial D’Ajuda, iniciativa que irá revolucionar o turismo e que deve estar pronta no prazo máximo de um ano.

Para anunciar o projeto, o prefeito de Porto Seguro, Gilberto Abade, recebeu o secretário de Indústria Naval e Portuária da Bahia, Roberto Benjamin; o especialista em Assuntos Náuticos, José Zacarias, e o empresário Pedro Boca, além de diversas autoridades municipais, lideranças políticas, empresários de segmentos variados e representantes de associações e organizações não-governamentais, em um evento realizado na Secretaria Municipal de Turismo, na Passarela do Álcool, no início da noite de quarta-feira.

“A construção da marina é o presente mais especial que poderíamos receber hoje. A nossa comunidade anseia por projetos como esse, que vão gerar uma nova alternativa para o turismo, a principal fonte de renda da nossa cidade”, afirmou o prefeito, que aproveitou para enumerar as principais obras da sua administração, como a construção do Mercado Municipal, asfaltamento de diversos bairros, construção de escolas, obras de novos hospitais e retirada da Favela da Feirinha, onde hoje está sendo construída uma praça.

Marina Arraial D’Ajuda

Os investimentos no projeto Marina Arraial D’Ajuda serão privados e chegarão a R$ 6,5 milhões, com geração de 60 a 100 empregos durante a construção. As instalações serão em um terreno de 14 mil metros quadrados localizado ao lado da chegada das balsas, em Arraial D’Ajuda. No local, também será feita a reurbanização da via de acesso ao distrito, com estacionamento para os ônibus e kombis, além da ampliação da pista.

De acordo com o empresário Pedro Boca, da Interage Engenharia, que apresentou a Marina, serão 210 vagas para embarcações, sendo 180 secas (fora d’água) e 30 molhadas (dentro d’água). “Quando pronta, irá gerar 35 empregos diretos e aproximadamente 40 indiretos”, afirmou Boca, explicando que a Marina também contará com estacionamento, quatro oficinas de manutenção, restaurante para apoio às embarcações, pátio e rampa de acesso.

O empresário também destacou os benefícios que a Marina trará para Porto Seguro com a atração do turismo náutico, incremento turístico, geração de empregos, aumento na arrecadação de impostos, lazer para os moradores e a possibilidade da criação de eventos, como regatas, ralis e feiras.

Articulação do Governo do Estado

O secretário de Indústria Naval e Portuária da Bahia, Roberto Benjamin, destacou que a Marina de Porto Seguro integra o projeto Marinas da Bahia, que visa construir estruturas no litoral baiano a cada 30 milhas náuticas a partir de Salvador por todo o litoral Sul.

“Resolvemos iniciar este projeto em Porto Seguro, como uma homenagem à terra mãe do Brasil. Todo este projeto de construção contempla recursos privados, e o papel do Estado é justamente fazer a articulação entre os empresários e as Prefeituras, apoiando também no processo de obtenção de licenciamento e alvarás”, explicou o secretário estadual.

Ao final do evento, Benjamim entregou o projeto para o prefeito Abade e declarou seu empenho pessoal para que o licenciamento da Marina Arraial D’Ajuda seja feito da maneira mais rápida possível. “Vamos seguir todos os trâmites para garantir que tudo saia da maneira correta, respeitando a natureza e as particularidades da região, mas, ao mesmo tempo, vamos acelerar o processo para que dê certo o quanto antes”, comentou.

O secretário de Turismo de Porto Seguro, Guto Jones, comemorou a construção da Marina Arraial D’Ajuda na cidade. “Trata-se de mais um equipamento turístico que nos projetará nacionalmente e internacionalmente, tornando nosso destino ainda mais competitivo. Além disso, o turismo náutico tem um público de alto poder aquisitivo”, afirmou.

Para se ter uma ideia dos números do setor, há mais de 8 milhões de pessoas no mundo, com alto poder aquisitivo, navegando pelos oceanos. Estima-se que cada barco acima de 23 pés gere cinco empregos indiretos, enquanto um barco ancorado consome de 8% a 15% do seu valor de compra.

O evento também contou com a presença dos secretários de Administração, Lauro Setúbal; Turismo, Guto Jones; Obras, Luís Fróes; Trânsito e Serviços Públicos, Sandy Esmero; Litoral Sul, Alencar Oliveira; Esportes, Oberdan Santos Costa; Meio Ambiente, Élio Brasil; e do chefe de gabinete, Osdélio Oliveira.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui