Com que olhos olhamos a vida?

“Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz.” (Mateus 6.22)

O que é a realidade? Há quem diga, e é difícil não concordar, que a realidade é o modo como vemos a vida. E, de fato, para nós é essa a realidade. Ainda que o modo como vemos a vida seja algo completamente distante da realidade factual, o modo como a vemos constitui-se a realidade com que lidaremos e a que reagiremos. Há mais a ser dito sobre isso. O modo como vemos e interpretamos a vida depende das perspectivas, dos valores e crenças que estão verdadeiramente presentes em nós. Sendo simplista, mas apenas para ilustrar, podemos dizer o seguinte: pessoas desonestas tem a atitude natural de desconfiar de todas as demais pessoas. As pessoas honestas são mais inclinadas a confiar nas demais. Pessoas maldosas veem o mal em tudo, sempre pensam que há uma intenção impura no que veem. Cada uma dessas pessoas está vendo o mundo com seus olhos, Jesus está falando sobre isso.

Somos reféns dos nossos olhos e eles determinarão a qualidade de nossa presença no mundo. Jesus de várias formas chamou a atenção de seus ouvintes para que avaliassem o que os habitava, o tipo de valores e princípios. Assim como chamou a atenção para os males que podemos produzir. Diante da preocupação dos religiosos judeus com os ritos de purificação, como o lavar as mãos para não estar impuro diante de Deus, Jesus aproveitou para dizer que a verdadeira contaminação acontece com o que vem de dentro de nós, do nosso coração, onde reside a intenção de praticar o mal (Mc 7.18-20). E o que existe dentro de nós e é mal, talvez esteja lá porque, em lugar de escolher o que “comemos”, no sentido das ideias que recebemos e que vão nos moldando, fazemos pouco caso disso. Aquilo a que nos expomos, nos influenciará, seja bom ou ruim.

Temos muitas ofertas de comida ruim para nossa mente: consumismo, pornografia, violência, descrença, preconceito, agressividade… E podemos passivamente nos colocar à mesa e comê-las, pensando não haver consequências, mas estamos enganados. Tenhamos cuidado. Examinemos a nós mesmos e peçamos ajuda de Deus. Se nos iludirmos achando que somos cheios de luz, quando na verdade o que nos habita são trevas, disse Jesus que essas serão as piores trevas que poderiam nos habitar (Mt 6.23). Pois estarão ocultas a nós mesmos. Cuide melhor de si mesmo, interiormente. Cuide mais de sua mente e de seu coração. Siga o conselho de Paulo: “Tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.” (Fl 4.8) Que seus olhos sejam cheios de luz e sua presença, em todo tempo, resplandeça em atitudes, palavras e obras que honrem a Cristo.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui