Caravelas: Exército conclui obra do aeroporto e faz entrega à Força Aérea

No dia 2 de março foi realizada a solenidade de entrega da obra de revitalização e ampliação das pistas de pouso do Aeroporto de Caravelas ao Segundo Comando Aéreo Regional (COMAR II), com sede em Recife (PE).

A intervenção teve inicio em 2010 e foi executada pelo 11º Batalhão de Engenharia e Construção do Exército Brasileiro de Araguari-MG.

Na ocasião, o coronel Guilherme Langaro Bernardes, comandante do Batalhão de Engenharia de Construção, falou da importância da revitalização das pistas e reafirmou que as intervenções foram feitas rigorosamente dentro das normas técnicas padronizadas e exigidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Explicou que as duas pistas podem receber aeronaves como Airbus A320, Boeing 737, Embraer 190, Fokker F-100, Lockheed C130, BAE HS-125, entre outras. “Eu acredito que em breve o aeroporto estará operacional”, finalizou.

“Desde do início existia interesse da Força Aérea passar a administração do aeroporto ao Governo do Estado da Bahia, mas não gostaria de passar do jeito que as pistas estavam anteriormente. Hoje vale a pena salientar que o aeroporto de Caravelas é dotado de duas pistas que se cruzam devidamente revitalizadas, sendo a pista maior de 1.530 metros e a menor de 1.200 metros. Eu não tenho dúvida que o aeroporto de Caravelas é um dos que possuem mais potencial da região, e a missão da Força Aérea hoje aqui consiste em fazer o recebimento definitivo da obra. Já existe um termo de convênio assinado entre a Força Área e o Governo do Estado da Bahia para na sequência abrir uma possível concessão para administração e operação do aeroporto”, explicou o major Wellington Dias, presidente da Comissão de Recebimento de Obra do Aeroporto de Caravelas, ele que é lotado no II Comar.

O Aeroporto de Caravelas foi construído há mais de seis décadas pelo governo brasileiro, em acordo com os americanos, com o objetivo de atuar como base aérea militar das forças aliadas durante a Segunda Guerra Mundial. A estratégia foi situar o aeroporto a meio caminho da faixa litorânea entre os estados do Rio Grande do Sul e do Maranhão e, assim, Caravelas foi a cidade escolhida. Conserva a arquitetura militar da época, identificada por paredes espessas e arcos. Fica a cerca de 10km da cidade de Caravelas e cerca de 8km do litoral em linha reta ao ponto mais próximo da costa. Além das pistas que foram completamente revitalizadas e reestruturadas, ainda resta a reforma e ampliação da área de logística do aeroporto, principalmente o setor de embarque e desembarque.

 

 

Fonte: Ascom da prefeitura

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui