Canavieiras: Programação culturall presta homenagem a Dorival Caymmi

O cantor e compositor baiano Dorival Caymmi, que completaria 100 anos em 30 de abril passado, foi o grande homenageado nas comemorações 123 anos de emancipação político-administrativa de Canavieiras, domingo (25). Para celebrar as duas importantes datas, a Secretaria Municipal da Educação promoveu o 1º Sarau das Escolas Municipais de Canavieiras, com a apresentações coreografadas das músicas de Dorival Caymmi.

O sarau foi realizado na noite de sexta-feira (23), ao ar livre, na praça da Bandeira, com a presença do prefeito Almir Melo, do deputado estadual Leur Lomanto Júnior, secretários e assessores, convidados e população em geral. Segundo o prefeito Almir Melo, o evento é uma demonstração da tradição cultural conservada pelos canavieirenses.

O sarau contou com as apresentações de ballet, pela Plié Escola de Ballet, seguida pelas escolas municipais infantil, Fundamental I e II, que formataram seus espetáculos de dança ao som das músicas de Dorival Caymmi. Uma das escolas, a Professora Rita Braga, do Povoado do Puxim, parodiou a música “Que que a Baiana Tem” transformando-a para “O que que Canavieiras tem”. Também participaram do sarau o Projeto Ginástica Rítmica de Canavieiras (Gicas) e a professora Ely Carvalho.

No sábado (24), a grande atração das comemorações foi o VI Festival de Filarmônicas do Litoral Sul da Bahia (Felis-BA), promovida pela Filarmônica 2 de Janeiro em parceria com a Prefeitura. Participaram do Festival as Filarmônicas 2 de Janeiro e Lyra do Commercio (ambas de Canavieiras), além das Filarmônicas União São Felista (de São Félix) e Estevam Moura (de Santo Estevão).

As filarmônicas se concentraram na praça Maçônica e desfilaram pelas principais ruas da cidade até o Sítio Histórico, onde tocaram um vasto repertório com diversos estilos musicais. Segundo a organizadora do Festival, a maestrina Eunice Castro, com esse evento Canavieiras dá mais uma demonstração da valorização da boa música.

Eunice Castro ressaltou o excelente nível das filarmônicas União São Felista, regida pelo maestro Anderson Fernandes e da Estevam Moura, regida pelo maestro Hadson Oliveira. Ela explica que as cidades do Recôncavo baiano também mantêm a tradição das filarmônicas, que se apresentam em eventos em diversas cidades brasileiras.

No domingo (25), Dia da Cidade, o espetáculo ficou por conta das escolas das redes municipal e particular, que desfilaram com bandas e fanfarras. Uma atração à parte foi o desfile da Apae, com banda e ballet formado pelos alunos e um carro alegórico com a representação da Princesa da escola e seu séquito.

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui