Câmara Municipal de Teixeira realiza 1º Seminário de Desenvolvimento Sustentável rumo a 2030

Câmara Municipal de Teixeira realiza 1º Seminário de Desenvolvimento Sustentável rumo a 2030. Fotos: Lenio Cidreira/OSollo

O 1º Seminário de Desenvolvimento Sustentável rumo a 2030 deu início na tarde da quarta-feira (09) e o término será na sexta-feira (11). Está acontecendo no Espaço D, no bairro Monte Castelo. Trata-se de um evento para discutir a temática do desenvolvimento regional trazendo uma série de possibilidades de transformar realidades positivamente nas áreas marcadas por agudos índices de pobreza e falta de investimento privado e público, sobretudo em setores essenciais, como saúde pública, educação, infraestrutura e meio ambiente, sendo que o esforço deve-se pautar pela gestão horizontalizada, integrando políticas de natureza diversificada.

Estiveram presentes ao evento o prefeito Temóteo Brito, o coordenador regional do Sebrae, Alex da Silva Brito, o presidente da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, vereador Agnaldo Teixeira Barbosa, o “Agnaldo da Saúde”, o juiz Roney Moreira, o bispo diocesano Jailton de Oliveira Lino, representantes de entidades, vereadores, secretários, servidores públicos e comunidade.

Juiz Roney Moreira

O juiz Roney Moreira lembra que planejar Teixeira de Freitas para o futuro requer um conjunto de ações efetivas e maduras, inclusive com a participação da sociedade civil e dos organismos de imprensa. E que a ação seja acompanhada de uma agenda convergente de políticas públicas que possa pavimentar o desenvolvimento do município com reflexos diretos para a região, criando resultados positivos, ensinamentos, ações horizontalizadas, percebendo o território como o repositório das relações sociais e econômicas e, portanto, construir um processo de planejamento participativo e integrado, que requer iniciativas rápidas para se construir o futuro, evidenciando o caráter transversal do desafio de promover o desenvolvimento para as áreas dos setores essenciais.

Presidente da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, vereador Agnaldo Teixeira Barbosa, o “Agnaldo da Saúde”

Conforme o presidente da Câmara Municipal de Teixeira de Freitas, vereador Agnaldo Teixeira Barbosa, o “Agnaldo da Saúde” , a ideia nasceu em outubro de 2017, durante a realização da 35ª Exposição Agropecuária. Mas, só na tarde de terça-feira do último dia 6 de fevereiro conseguiu reunir as principais cabeças do projeto na sala das comissões da Câmara Municipal, com o apoio do  Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Gerente regional do Sebrae, Alex da Silva Brito

De acordo com o coordenador regional do Sebrae, Alex da Silva Brito, que é mestre em Desenvolvimento e gestão social, por se tratar de um seminário que vai traçar um Plano de Desenvolvimento que objetiva ações de infraestrutura com impactos significativos na dinâmica social e, mais especificamente, com base nos reflexos econômicos positivos que o amplo acesso aos recursos hídricos irá proporcionar nos 13 municípios da região, é importante se colocar a necessidade de planejar também as Bacias hidrográficas para que Teixeira de Freitas tenha êxito consolidado no seu desenvolvimento urbano a partir da elaboração e execução do presente Plano de Desenvolvimento Integrado.

Prefeito Temóteo Alves de Brito

Para o prefeito Temóteo Alves de Brito (PSD), o plano constitui-se em um desafio, pois há uma enorme complexidade nas dimensões sociais, econômicas, ambientais e culturais expressando geograficamente um rico mosaico de fenômenos e relações. Segundo Temóteo Brito, é preciso muitos esforços para elaborar um plano para a área de influência do Projeto de Integração Regional, com a participação de todas as esferas de governo e da sociedade civil, sinalizando para um momento de corresponsabilização nas decisões e gestão das políticas públicas.

O bispo diocesano Jailton de Oliveira Lino, mais uma vez se disse orgulhoso em participar deste projeto e ressaltou que uma iniciativa como esta, precisa de uma condução pública desafiadora em relação a realidade brasileira no que tange à geração e distribuição da riqueza no território. E que é preciso em vista das condições históricas da região e das potencialidades econômicas identificadas se equacionar estudos em programas estratégicos, como Programa Estrutural de Apoio ao Desenvolvimento Produtivo e Programa Complementar de Apoio ao Desenvolvimento da Infraestrutura e Sustentabilidade, apresentando uma carteira de projetos e subprojetos, com a previsão de metas e ações.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui