Câmara de Vereadores de Nova Viçosa lamenta a morte de Frans Krajcberg

Frans Krajcberg (Foto: Reprodução)

“Eu pensei: ‘Meu Deus, quanta riqueza que tem, movimento que tem, que a arte ignora. Eu fico aqui “, conta Frans Krajcberg no documentário “O grito da natureza” Ao conhecer Nova Viçosa, a convite do amigo e arquiteto Zanine Caldas, segundo o artista plástico na cidade ele encontrou seu refúgio para a vida. Para o presidente da câmara de vereadores de Nova Viçosa, o vereador José Anastácio, o momento é de um grande luto, “nos colocamos neste momento de luto, Nova Viçosa está de luto, a Bahia e o Brasil estão de luto e por fim, a arte e seus amantes celebram o luto por uma das mais brilhantes e geniais mentes que o planeta teve a oportunidade de conhecer, e Nova Viçosa de ter como cidadão”.

Nascido na Polônia, e no Brasil desde 1948, onde buscou reconstruir sua vida, após perder toda a família em um campo de concentração, durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) o renomado artista plástico Frans Krajcberg, nome mundialmente conhecido e igualmente respeitado, adotou de forma explicita a região do extremo Sul da Bahia como residência e inspiração, onde radicou desde 1972 mantendo o seu ateliê no município de Nova Viçosa. Krajcberg era um artista que suscitava reflexões e diálogos com seus protestos. Embora seu corpo de 96 anos demonstrasse sinais do peso da idade, suas ideias eram defendidas com energia visceral.

Frans Krajcberg, além de ter um olhar bastante poético, especialmente sobre a natureza, sempre propunha uma reflexão sobre as questões ecológicas, sustentáveis e humana, ferrenho opositor do conhecido “deserto verde” que se tornou a região com a silvicultura do eucalipto e as empresas de papel e celulose, Krajcberg colecionava fãs e admiradores ao redor do mundo. Krajcberg tinha a habilidade em absorver emoções e reações, “ninguém melhor do que aquele que perdeu parte da sua vida sob um regime de repressão para descrever o conceito de liberdade, ele encontrou paz e vida em um ambiente hostil e cinzento de uma floresta queimada por isso sintetizava a diversidade harmônica, a natureza exuberante e a energia contagiante dessa região como ninguém” lembrou o vereador Anastácio.

Frans Krajcberg recebeu por três vezes títulos de honrarias concedidos pela Câmara de vereadores de Nova Viçosa, um deles sendo título de cidadão honorário, honrarias que não lhe foi proporcionado um momento para fazer a entrega e que estavam na pauta da presidência da casa para formalizar uma sessão solene em homenagem ao artista a fim de promover a entrega desses reconhecimentos. “Lamentamos muito o ocorrido, falo em nome dos 13 vereadores dessa casa, essa casa se empenhará no máximo possível para que a memória desse ser humano incrível, que está acima do artista excepcional que ele também foi, posso ser acolhida com orgulho por todo novaviçosense desta e das gerações futuras” concluiu os votos de pesar, o vereador Anastácio.

 

 

 

 

 

 

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui