Baianas do acarajé se reinventam em 2020 com novas tecnologias e mostram força da cultura local

 

Fonte: Pixabay

A crise que afetou o Brasil neste ano foi até maior para as famosas comerciantes de acarajé que ganham a vida preparando pratos nos tabuleiros. Entretanto, para não deixar a cultura baiana perder espaço na vida das pessoas, as baianas do acarajé foram buscar nas novas tecnologias uma solução para fugir da crise. Os aplicativos de delivery e as redes sociais foram as melhores soluções encontradas para isso.

 

Com forte presença não apenas no extremo sul, mas em toda a Bahia, a iniciativa de realizar delivery de acarajé, e de outros pratos típicos, surgiu das próprias comerciantes. É o caso, por exemplo, do empreendimento Cheirinho de Dendê, que conseguiu fazer com que, pelo menos, 20 afiliadas começassem a oferecer o serviço de delivery. Apesar de não ser 100%, já que existem mais de 68 baianas que trabalham na empresa, o número representa uma quantidade significativa de cozinheiras.

 

O auxílio das novas tecnologias foi fundamental para conseguir fugir da crise, principalmente para oferecer a opção de delivery. Foi nessa ideia que o aplicativo Tabuleiro da Baiana ganhou espaço em toda Bahia, com maior foco na capital. A empresa foca no delivery de comidas típicas da região e, inclusive, realizou um concurso para descobrir e premiar o melhor acarajé, o melhor abará e o melhor tabuleiro do estado.

 

A expectativa para o próximo ano, principalmente no segundo semestre, é que a crise não afete mais o Brasil e as baianas possam trabalhar normalmente. Entretanto, isso não significa que o delivery desses produtos vai deixar de existir. Na verdade, o sucesso desse serviço nos últimos meses deve fazer com que mais empreendimentos comecem a oferecer acarajé entregue em casa, afinal é uma facilidade que muitos clientes gostariam de aproveitar.

Presença nas redes

 

Além do serviço de delivery, a tradição da comida baiana também ganhou as redes sociais e as plataformas de compartilhamento de vídeos. Em sites como o Instagram e o Facebook, por exemplo, várias páginas focadas nas tradições do estado estão ganhando popularidade. A ideia é explicar um pouco mais da cultura e também da culinária da Bahia. Apesar de ser algo forte na região, ainda existem muitos locais no Brasil que conhecem pouco da história local.

 

No YouTube, as receitas baianas ganharam espaço com alguns canais que ensinam a fazer alguns dos pratos mais conhecidos no estado. Por exemplo, o cozinheiro Nandu Andrade possui mais de 900 mil inscritos e, direto de Salvador, possui vários vídeos ensinando e falando um pouco mais da cultura da região. Um conteúdo importante e que mostra a pluralidade que existe no Nordeste.

 

Dessa forma, é fácil entender como a internet está sendo importante para expandir alguns conteúdos que antes eram mais restritos. Apesar do eixo Rio-São Paulo ainda ser o principal ponto de exportação cultural, a Bahia começa a ganhar espaço gradualmente com as redes. O extremo sul também não fica de fora disso, pois também é lembrado em boa parte desses conteúdos que citamos.

Tradições em nova versão

 

A internet não causou impactos e mudanças apenas na culinária e na cultura baiana. Em 2020, a ferramenta foi usada para dar uma nova cara para várias outras áreas. Por exemplo, os shows ao vivo e festivais de músicas trocaram os palcos, e os grandes eventos, pelas transmissões em tempo real das redes sociais, seja pelo YouTube ou então pelo Instagram. Essa mesma troca aconteceu também com os fãs de jogos de cassino online, principalmente com o pôquer e o blackjack, que também utilizam do streaming para oferecer uma experiência mais real e que não perde em nada para o cassino físico. Até mesmo os cinemas também ganharam uma alternativa, com as plataformas de streaming, como a Globo Play, que somam mais de 20 milhões de usuários no Brasil.

 

Outras mudanças também podem ser lembradas, como o crescimento dos podcasts, que ganharam espaço entre os fãs de rádios. Essa nova forma de consumir conteúdo por áudio ficou mais popular com as plataformas de streamings, que investiram pesado para que o conteúdo disponível fosse cada vez maior. Atualmente, grandes produtoras de conteúdo, como a CBN e Globo, possuem um podcast próprio.

 

Esses são os impactos positivos que as novas tecnologias causaram no Brasil em 2020, e que permitiram que a culinária baiana não entrasse em uma crise ainda pior. O uso das novas tecnologias para evidenciar ainda mais o aspecto cultural da região é importante para todo o estado, e também para o Brasil, que pode conhecer um pouco mais da riqueza da Bahia. A projeção para os próximos anos é de um crescimento ainda maior em todos os sentidos, principalmente com a ajuda da internet.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui