Bahia: Aumenta número de doações de órgãos em 2014

A Bahia registrou 109 doações de múltiplos órgãos em 2014, o que representa um aumento de 12% em relação ao número de doações em 2013. As doações possibilitaram a realização de 563 transplantes: 332 de córnea, 52 transplantes de fígado, 63 de rim, 48 transplantes de medula óssea, 46 de esclera e 22 transplantes ósseos. 

A deputada estadual Graça Pimenta (PMDB) salienta importância do aumento no número de doações, informado pela Sesab esta semana. “Fico contente em saber que houve um aumento no número de doações de órgãos no estado. Para mim, a falta de conhecimento das pessoas sobre a doação de órgãos e tecidos e a importância deste gesto que pode salvar vidas pode ser apontada como um grande obstáculo para a  ampliação do número de transplantes. Acredito que reforçar, através de campanhas e medidas enérgicas, a importância do ato pode estimular a população e permitir o aumento”, afirma a parlamentar.

AINDA SEGUNDO INFORMAÇÕES DA SESAB, Também foram feitos dois transplantes de pele, com material disponibilizado pelos bancos de Pele do Paraná (PR) e de Porto Alegre (RS), e 19 transplantes de rim com doador vivo. Atualmente, conforme a secretaria, há exatas 2.125 pessoas na fila de espera por um transplante; desse total, 1.100 para córnea, 925 de rim, 67 de fígado e 33 para transplante de medula.

Vale ressaltar que pode ser doador qualquer pessoa que concorde com a doação, desde que não prejudique a sua saúde. O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado e da medula óssea ou do pulmão. Ainda de acordo com a legislação, parentes até o quarto grau podem ser doadores; os não parentes, porém, somente com autorização judicial. Nos casos dos doadores falecidos, é preciso a constatação de morte encefálica – geralmente vítimas de dano cerebral irreversível, como traumatismo craniano ou acidente vascular cerebral (AVC).

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui