Bahia: Agentes são treinados para atuar contra ebola

Preocupação é com os navios que chegam de países africanos.

Fiscalização será feita em alto mar, antes da embarcação atracar.

Os profissionais da vigilância epidemiológica da Bahia estão passando por um treinamento, para evitar a contaminação do vírus ebola no estado. Apesar de não haver registro de contaminação pelo vírus ebola no Brasil, a preocupação é com os navios que chegam de países africanos.

Os procedimentos que serão executados foram mostrados nesta segunda-feira (11), em Salvador, durante uma palestra para profissionais da área de saúde de várias regiões do estado.

Os navios que geralmente vêm da Nigéria, Libéria, Serra Leoa e outros países africanos normalmente transportam minério para o porto de aratu, ou amêndoas de cacau para o porto de Ilhéus.

Outra preocupação é com a presença, nestes navios, de clandestinos que podem estar contaminados. Por isso, os navios não pdoerão atracar na bahia antes de ser vistoriado pela vigilância sanitária, que será feita em alto mar.

Em caso de suspeita, os técnicos devem estar protegidos por uma roupa especial, que inclui máscaras e óculos que ainda não estão disponíveis para os profissionais de saúde do estado.

O ebola é uma doença contagiosa, provocada por um vírus. Os sintomas começam entre duas e três semanas após a infecção, com febre alta, dores musculares, dores de garganta e de cabeça, além de enjoo, vômitos e diarreia. A contaminação é através do sangue ou outros fluidos do corpo.

Segundo Juarez Silva, coordenador de saúde da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), o ebola é uma doença que não possui tratamento específico. “Não tem medidas de prevenção, como uma vacina, então nós temos que estar preparados para dar pelo menos o mínimo necessário a este paciente, para que ele não venha a óbito e nem contamine outras pessoas”, afirmou.

 

 

 

Fonte: G1, com informações da TV Bahia

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui