Agressão

É estranho ver dezenas de pessoas apinhadas na frente da delegacia, além da mídia com vários fotógrafos, a algazarra tem um tom de tensão e confusão. Ele andando atordoado no meio do vozerio, após a agressão a esposa em Fortaleza ou a socialite que agride a força tarefa que fecha uma festa clandestina em São Paulo.

Vivemos numa zona cinza e instável onde o melhor dos homens sempre podem cometer o pior dos crimes. As vezes se é incapaz de imaginar a realidade de uma agressão. Agressão  são atos que determinam nossa existência.

Sentir-se mal muitas vezes é inevitável, pois é um ato emocional. Somos seres mortais imperfeitos, traídos por nossa própria complexidade. O homem viveu em 1 milhão de anos, quarenta vezes mais como caçador do que como lavrador. Foram 975 mil anos lutando pela comida, pela companheira, pela vida. A morte era como o vento, o que explica a barbárie ainda presente, sendo que onde existe agressão, existe sofrimento. Até que começamos a desconfiar de que estamos sozinhos e ao abandono trancados do lado de fora da vida como este DJ cancelado por muitos nas redes sociais e esta socialite. A agressão mostra que a vida nem sempre é justa e é absolutamente imprevisível.

Nota: O conteúdo aqui publicado é de inteira responsabilidade do colunista que assina o texto.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui