Agora que o Natal passou

“‘O que devemos fazer então?’, perguntavam as multidões.” (Lucas 3.10)

Agora que o Natal passou, é hora de seguir em frente. Talvez hoje você ainda vá comer o que ficou da ceia de ontem. Isso é quase uma tradição para algumas famílias. Infelizmente, há aquelas que apenas se lembrarão com saudade da boa mesa de ontem. Hoje, sentirão novamente as limitações do orçamento. Diante de tudo que se disse e se fez no Natal, o que devemos fazer agora diante da vida e dos desafios nossos e dos outros?

“O que devemos fazer então?” Essa pergunta foi feita a João Batista pelas pessoas que iam a ele para serem batizadas. O batismo era um símbolo de arrependimento. De reconhecimento de que havia pecados cometidos e era necessário buscar mudanças, melhorias. Então, eles queriam mais detalhes, queriam entender como cada um deles em sua vida pessoal poderia corresponder, tornar verdadeiro o batismo.

João lhes deu orientações práticas: quem tivesse duas túnicas deveria repartir com quem não tinha nenhuma (Assustei-me em lembrar quantas camisas e calçados eu tenho!). Quem fizesse comida deveria fazer o mesmo (vai congelar a restante da ceia de ontem?). Aos cobradores de impostos, disse que não deveriam cobrar nada além do que havia sido estipulado. Aos soldados orientou que não praticassem extorsão nem acusassem ninguém falsamente. Deveriam contentar-se com o salário. Todos deveriam agir de forma a revelar um coração melhor.

O Natal foi ontem. Mais um Natal que celebramos. Mensagens de felicitações e desejos de paz transitaram prodigamente nas redes sociais. De alguma forma, Jesus foi lembrado, embora Papai Noel tenha dominado a maioria das cenas. Agora tudo já virou passado. Papai Noel voltará ano que vem e em breve as árvores de Natal e os enfeites voltarão para as caixas. Eles só servem na data certa. Mas, e Jesus? E a fé que temos no Filho de Deus, que veio ao mundo para nos redimir?

O que devemos fazer então? Qual sua resposta para essa pergunta? O que devemos fazer como irmãos e irmãs em Cristo, que dividem o mesmo espaço de culto? Há algo que podemos fazer uns pelos outros e uns com os outros que confirmaria quem é Jesus para nós e qual o verdadeiro sentido do Natal? O que devemos fazer pelos que não creem como cremos? Como devemos agir com as pessoas, todas elas, sem distinção?

O que devemos fazer com nossos talentos, nossa instrução, nossos bens, nossos recursos, influência, poder, saúde, liberdade, cidadania, oportunidades… para manifestar o amor, a graça, a misericórdia e a compaixão do Deus que nos deu seu Filho, porque tanto nos amou?
Alguns cristãos são radicalmente contra o modo como o Natal é celebrado em nossa sociedade.

Demonizam a árvore, as luzes, o Papai Noel, os presentes… e veem nisso seu zelo com a fé. Acredito que o zelo com a fé nos pede, não uma luta contra essas coisas, mas um compromisso firme em sermos parecidos com Cristo. Em revelarmos as atitudes daquele que veio reconciliar pecadores com Deus. Que veio buscar e salvar o que se havia perdido.

O Natal deste ano já ficou para trás. Que Jesus continue presente por meio de sua vida, de suas atitudes, de seu amor, misericórdia e graça. Viva como alguém perdoado e não como alguém que nunca errou. Viva como alguém que foi aceito e não como alguém que mereceu um lugar na família de Deus. O Natal já passou. Que sua presença seja a presença de Cristo.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui