Acessórios de segurança para os motociclistas: qual a importância de cada um deles e como esses itens podem salvar vidas 

Acessórios de segurança para os motociclistas: qual a importância de cada um deles e como esses itens podem salvar vidas. Foto reprodução

Com o aumento da frota de motocicletas, os acidentes envolvendo veículos de duas rodas também cresceram. Para ter uma ideia, de acordo com os dados do Seguro DPVAT 65% das indenizações por morte no trânsito pagas no País, são para condutores ou passageiros de motos. O índice chega a 90% nos valores pagos por invalidez e 83% nas internações. As vítimas são na absoluta maioria homens, em idade economicamente ativa: 52% tem entre 18 a 34 anos. No Nordeste foram 71.299 indenizações por invalidez pagas envolvendo motociclistas.

Para Wellington da Silva Santos, especialista em acessórios de segurança da Laquila, empresa que atua há 35 anos no mercado, comercializada em peças, acessórios e vestuário para motos on road e off roa, existe uma infinidade de produtos que diminuem as chances do motociclista ser a principal vítima dos acidentes no trânsito. “Dos principais itens de segurança, podemos listar os capacetes, as jaquetas, luvas, calças e botas. Com esses acessórios o motociclista está protegido e mais seguro quando sair de casa” comenta.

Confira abaixo as dicas do especialista no que diz respeito aos acessórios de segurança para quem pilota

Jaqueta

São fundamentais, pois no caso de queda elas protege das queimaduras que são ocasionadas com a abrasão ao solo e ajudam a diminuir o impacto e os ferimentos da queda. Existem hoje jaquetas inovadoras, como no caso das airbag, que contam com sistema de segurança capaz de inflar em caso de colisão.

Luva

No reflexo da queda as mãos são as primeiras a raspar no chão no intuito de se proteger. Por isso a luva é indispensável no dia a dia. Aquelas com ótima qualidade reduzem em até 95% os ferimentos por queimadura na palma das mãos, além de proteger contra os insetos e objetos que possam “voar” durante a pilotagem e atingir as mesmas. Existem modelos adequados para cada tipo de usuários, inclusive as com touch finger, para que não seja preciso retirá-las para digitar no celular (o qual só deve ser usado com a moto parada e estacionada).

Calça

As calças de proteção complementam os itens importantes para a segurança de quem pilota, com proteções nos joelhos e coxas, além de elastano em alguns modelos para melhor movimento DOS joelhos. Também pode ser impermeável e/ou com malhas de Kevlar, tudo visando evitar maiores consequências em caso de quedas ou colisões.

Bota

Ter um calçado adequado é bem importante para evitar lesões. A bota para motociclista além de ter um couro mais resistente, ela deve conter proteções nas áreas essenciais, como tornozelos, calcanhar e dedos. Geralmente, em um acidente a fratura e queimadura nos pés são comuns. O motociclista pode se chocar com outro veículo, objeto, meio fio e/ou asfalto, causando graves traumas que podem ser reduzidos e/ou evitados com o uso adequado de um calçado.

Capacete

É o equipamento mais importante para os motociclistas, além de ser exigido por lei. Hoje a maior causa de mortes em acidente de trânsito envolvendo motocicletas é por lesões na cabeça. Por isso, a escolha de um capacete de qualidade é muito importante, o fato de você usar o equipamento não significa estar protegido se este não tiver qualidade e for utilizado forma incorreta.

Por serem considerados bem duráveis, há muito tempo o Inmetro, exige que seja colocado na etiqueta interna do capacete, onde aparece data do lote de fabricação e tamanho, na última linha em negrito a expressão “ESTE PRODUTO É UM BEM DURÁVEL”, justamente para não haver outra interpretação.

Além de ser bem claro que as normas de fiscalização definidas pelo Denatran, que disciplina o uso do capacete pelo condutor e passageiro de motocicleta através da Resolução Denatran 203, de 29 de setembro de 2006, onde está descrito tudo que é fiscalizado em um capacete, então, como validade de capacetes não existe, não aparece nenhuma vez dentro da resolução disciplinadora. Porém, posso destacar 3 itens que constam e são importantes para saber se você está passível de ser multado:

1° falta do Selo do Inmetro, externamente e internamente costurado no cinto jugular.

2° falta dos adesivos retro refletivos, colados na frente, atrás e nas laterais.

3° e talvez a mais importante, estado de conservação do capacete, devido a este 3° item, fica bem claro que capacete não tem VALIDADE, no entanto todo fabricante tem que fazer constar no manual na parte destinada a SEGURANÇA, o tempo de recomendação de uso do capacete.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui