Ação de Saúde faz rastreamento de hanseníase em Porto Seguro

Ação de Saúde faz rastreamento de hanseníase em Porto Seguro. Fotos: Ascom

Aberto ao público de todas as idades, mais de 50 pacientes de Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália e Belmonte foram beneficiados com a  programação voltada ao diagnóstico preventivo de novos casos da hanseníase. O projeto, resultado da parceria entre a Secretaria de Saúde de Porto Seguro e o Projeto Roda Hans, ocorreu sexta-feira, 3/05.

Segundo o secretário de saúde, Kerrys Ruas, que esteve visitando as instalações e conversando com os pacientes, a carreta móvel foi estrategicamente instalada na Praça do Trabalhador para permitir o acesso fácil da população na realização das consultas. “Ficamos muito felizes com mais essa grande parceria com o Roda Hans, que muito tem nos ajudado a satisfazer as necessidades da população em setores prioritários, como a saúde. O município já realiza ações diárias nas unidades de saúde, com a finalidade de ofertar diagnóstico e tratamento aos pacientes de hanseníase, entretanto, através desta ação descentralizada, podemos ampliar e agilizar o atendimento, melhorando a saúde e a qualidade de vida dos pacientes do SUS”, enfatiza.

Avaliações

Os exames de rastreamento e detecção precoce da doença, acompanhados pela superintendente da vigilância em saúde, Larissa Altoé, juntamente com a diretora da vigilância epidemiológica, Greciana Maria da Silva, foram realizados na carreta itinerante instalada na Praça do Trabalhador, com médicos, enfermeiros e fisioterapeuta, composto por quatro consultórios e um ambiente para coleta de exame para identificação da hanseníase.

No local, ao longo de todo o dia, a equipe multidisciplinar consolidou manejo clínico, com tempo de 40 minutos em cada paciente, a fim de executar avaliação detalhada, no intuito de Investigar as possíveis alterações apresentadas na pele.

Pacientes diagnosticados

De acordo com levantamento efetivado pelo departamento municipal da Vigilância em Saúde, cerca de 3 pessoas foram diagnosticadas com a hanseníase, sendo notificadas e submetidas ao início do tratamento oportuno, com recebimento de medicação, e encaminhadas para as unidades de saúde da família, para o devido acompanhamento, cujo período é de 6 meses a 1 ano, de acordo com a forma clínica da doença (estágio apresentado).

Formas de contágio

Com objetivo de fortalecer as ações voltadas para a detecção e tratamento correto da doença, os familiares e pessoas próximas dos pacientes diagnosticados também serão investigados pelos profissionais de saúde, pois a doença infectocontagiosa é causada pelo bacilo de hansen, sendo transmitida por meio de convivência  prolongada, por contato com gotículas de saliva ou secreções de nariz.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui