A soberania de Deus

“Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.” (Mateus 6.10)

Deus é Soberano. Creio que você concorde com essa declaração. Muitas pessoas concordam. Eu concordo. Mas, sobre o que estamos concordando? Bem, aí é uma outra conversa! E nela pode haver muita discordância, e há. Há quem creia que esta afirmação signifique que todas as coisas que acontecem no mundo são determinadas por Deus. Alguns afirmam isso às últimas consequências. Citando versos bíblicos que não me ocuparei em citar, creem que, literalmente, cada acontecimento tem por trás o dedo de Deus. Creem que a pandemia que estamos enfrentando, as queimadas na Amazonia, o assassinato de George Floyd, a morte do menino Miguel Otávio, a violência sofrida pelas mulheres e crianças que hoje foram feridas… Enfim, qualquer coisa que você queira incluir na lista, tudo resulta da soberania de Deus. Pois tudo só acontece porque Deus assim quis. E logo acrescentam: Deus tem um propósito

Por que então que Jesus orientou seus discípulos a orarem pedindo que a vontade  de Deus fosse feita na terra, como é feita no céu? Por que Ele lamentou sobre os judeus de Jerusalém, dizendo que quis acolhe-los e protegê-los como uma galinha faz com seus pintinhos, mas não o fez porque eles não aceitaram? (Lc 13.34) Por que os profetas declaram o cansaço de Deus em repreender e chamar para perto de Si um povo que insistentemente o rejeitava? (Is 1.2-5) Não há duvida de que Deus é soberano, mas não há dúvida de que Sua soberania não signifique que Ele seja o orquestrador da história humana, de um modo que, cada pequeno detalhe dela seja, em última análise, a Sua vontade. Pois a mesma Escritura que afirma Sua soberania, afirma que somos capazes para escrever nossa própria história. Nesse sentido, somos deuses para o mundo que Ele criou. Nossas decisões afetam e definem os rumos da criação. Afirmar a soberania de Deus sem considerar isso é dar luz a uma perspectiva que adoece o espírito.

A presença e ação de Deus na história humana é um grande mistério. Os critério divinos nos são inalcançáveis. Mas nossa história e critérios são nossa responsabilidade. O Evangelho de Jesus afirma a Soberania de Deus sem omitir, ou negar, a autonomia humana. Ele nos revela um Deus que nos ama e nos chama para Si, e desafia-nos à fé, à submissão e à obediência. Há decisões envolvidas. Decisões que nos cabem! Deus é soberano, mas o quanto isso influencia nossa vida? Importa-nos a Sua vontade? Essas são questões importantes! Deus não nos pede para desistir de nossa autonomia, mas para vive-la em harmonia com Seus propósitos. Os males e bens deste mundo são nossa responsabilidade. Viver é participar desse drama de nos alinhar a Deus ou contradize-lo. De agir inspirados por Ele ou nos omitir. E precisamos de sabedoria para não tomar o lado errado, pois há muita fake news. Cada dia é assim. Somos responsáveis, sem que isso signifique que Deus não seja soberano. Que seja feita a vontade Deus na terra, como é feita no céu. E isso é assunto para nossa autonomia, e não para Sua soberania!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui