A luta cristã

“Pois, como já lhes disse repetidas vezes, e agora repito com lágrimas, há muitos que vivem como inimigos da cruz de Cristo. Quanto a estes, o seu destino é a perdição, o seu deus é o estômago e têm orgulho do que é vergonhoso; eles só pensam nas coisas terrenas.” (Filipenses 3.18-19)

Os conflitos religiosos ao longo da história resultaram e resultam da intolerância em razão da fé. Essa intolerância sempre causou e ainda causa perdas de vários tamanhos e intensidades. Mesmo que envolva apenas duas pessoas. Uma leitura apressada e mal orientada do Antigo Testamento convence a muitos de que é assim que devem ser as posturas de fé: radicalmente defendidas. O mesmo acontece diante de algumas orientações dos apóstolos no Novo Testamento, ao tratarem de assuntos específicos que muitos generalizam, desprezando o contexto. Mas, se seguimos o espírito de Cristo, o anuncio e a defesa da fé cristã são regidos pelo amor que nos torna tolerantes, sem negociar os princípios do Reino de Deus que Ele nos legou.

O apóstolo fala com lágrimas referindo-se aos que ele considera inimigos da cruz de Cristo. Pessoas cujo estilo de vida demonstrava que optaram por viver sem crer em Cristo. Não somente isso, mas tornaram-se opositores da fé em Cristo. Ainda hoje há os que não seguem a Cristo e os que trabalham contra a fé em Cristo. Segundo Jesus mesmo disse, a sociedade está sujeita à influência do mal, por isso Ele orou por seus seguidores (incluindo a nós) dizendo: “não peço que os tires do mundo, mas que os guardes do mal” (Jo 17.15). O apóstolo aponta algumas marcas da ação do mal de dentro para fora na vida humana: propósitos ilusórios que levam a lugar algum, ou melhor, à perdição; escravidão sob os próprios desejos e encantamento com os fins, apesar dos meios. E conclui: eles só conseguem acreditar nas coisas materiais, no aqui e no agora!

A salvação em Cristo é uma experiência existencial que começa agora e estende-se por toda eternidade. Ela se expressa por um estilo de vida fundamentado na presença de Deus conosco, o Reino de Deus em nós. Nossa mais intensa luta acontece dentro de nós mesmos e não contra os que não creem. Nossa arma é o amor e somos chamados a testemunhar.Nossa mensagem é, antes de algo que possamos dizer, a vida que temos tido em Cristo, que nos dá propósito para existir, poder para dizer “não” a nós mesmos e ética para buscar os fins julgando os meios. Uma vida que nos conecta com a eternidade,para além do mundo material. Esse é o desafio diário que nos vem juntamente com a maravilhosa benção da presença de Deus. Desfrutamos essa presença na medida em que enfrentamos esse desafio. Em todo esse movimento é que experimentamos graça e paz da parte de Cristo.

“A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o seu espírito.” (Filipenses 4.23)

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui