A impunidade vai continuar?

Depois da prisão dos mensaleiros, a pergunta que está na cabeça do povo “a impunidade vai continuar?”. Ela surge devido aos crimes de corrupção que assolam o país. O ex-presidente Lula admitiu que o PT, depois de 33 anos de existência e com a chegada ao poder, se apegou aos cargos públicos, ao Parlamento e à corrupção. Ele adverte aos companheiros que só existe uma forma de não ser investigado no Brasil – não cometer erros. Entretanto, o mensalão surgiu em seu governo.

A reforma do governo

O prefeito João Bosco foi eleito em Teixeira de Freitas com um arco de alianças amplo. Segundo ele, esse foi o motivo da vitória. O problema é que ele comprometeu o governo loteando os cargos e com isso perdeu o controle. Para seu governo entrar nos eixos, João deveria fazer mudanças essenciais, porém, ele tem demonstrado dificuldades em promover as trocas de secretários para imprimir uma nova dinâmica. Se não tomar uma atitude, o governo continuará se desgastando, principalmente devido às licitações.

O combate à corrupção

Pesquisa realizada nacionalmente mostra que o que a população mais deseja hoje é: ética, transparência e eficiência do poder público. Na medida em que estes itens são cobrados, naturalmente existe reação no sentido de coibir as cobranças. Em Teixeira de Freitas, o acompanhamento maior está sendo feito pelas redes sociais, através dos grupos criados, a exemplo do “Fiscalizar Teixeira”, hoje composto de 4,2 mil associados. O Ministério Público também vem estimulando as denúncias, até mesmo através de cartas anônimas.

Carta aberta à Teixeira

O Grupo Fiscalizar Teixeira fez uma carta aberta à população e levou para a Câmara de Vereadores, entregando uma cópia ao presidente do Legislativo. Entre outros itens, o principal foi: “Solicitamos, pois, aos senhores vereadores, que, em respeito ao mandato que o povo lhes conferiu, seja instituída nesta Casa COMISSÃO ESPECIAL para analisar com rigor técnico os atos da Prefeitura Municipal, principalmente os LICITATÓRIOS e, sob audiência pública, sejam os relatórios dessa Comissão levados ao conhecimento da comunidade”.

Dilma será reeleita

Pesquisa Ibope divulgada no dia 18/11 aponta que a presidente Dilma Rousseff tem 43% das intenções de voto e venceria no primeiro turno se a eleição de 2014 fosse hoje e os adversários fossem o senador Aécio Neves (PSDB-MG) (14%) e o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) (7%), considerado atualmente o cenário mais provável da disputa. Se a presidente conseguir manter a economia estabilizada e os programas sociais ativos como o Bolsa Família, mais o programa “Minha Casa Minha Vida”, dificilmente perderá as eleições.

Carta de Gabrielli

O ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli, visto como o pré-candidato mais acomodado na disputa interna do PT para a sucessão estadual, incendiou o cenário político com uma carta ao diretório do partido aberta ao público. Ele solicitou aos companheiros que definissem o candidato petista. Afirmou que o governador é o comandante do processo, mas não podia atropelar o processo de discussão e debate dentro do partido. Ele pediu ao partido uma posição mais unificada depois dos resultados do Processo de Eleições Diretas (PED).

O poder fiscalizador

O povo tomou consciência da força que detém, por isso, fiscalizar se transformou no 4º poder, tirando da imprensa este título. O que mais tem contribuído para isso são as redes sociais, com sua força de mobilização. O que aconteceu no Brasil no mês de junho foi a maior demonstração disto.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui