A IGREJA E A LITURGIA DA VIDA

“Assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros e esses membros não exercem todos a mesma função, assim também em Cristo nós, que somos muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros.” (Romanos 12.4-5)

Você as vezes sente o desejo de desistir da igreja ou pelo menos da igreja em que você está agora? Acredito que muitos diriam que sim. E muitos já desistiram da igreja há algum tempo. Não apenas de uma certa igreja, mas de todas as igrejas. Vivemos já há algum tempo o fenômeno dos desigrejados e muitos apresentam razões consistentes para sua frustração. Todavia, igualmente consistentes são as razões para seguirmos igrejados, apesar das dificuldades. A igreja não é um lugar fácil e todos somos responsáveis por isso, embora nós, pastores, tenhamos uma considerável parte nesta responsabilidade. Desistir é uma opção, mas não é a melhor opção. A igreja é um espaço importantíssimo para vivermos a liturgia que nos faz verdadeiros adoradores. Na liturgia da vida, a igreja não é dispensável.

A fé cristã não é uma proposta individualista. Sua natureza é pessoal-comunitária. Formamos um corpo e a diversidade é essencial. A reconciliação com Deus nos une aos demais reconciliados com Deus de uma forma especial. E estar numa comunidade de reconciliados é mais que apenas uma questão de preferência pessoal, envolve a vontade e propósitos de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo. A igreja é um lugar para nossa transformação e não apenas para nossa satisfação. Para que haja mudanças em nós. E esses processos produzem adoração. São partes da liturgia da vida cristã.

É na experiência comunitária que poderemos desenvolver plenamente nossos potenciais para sermos frutíferos. A igreja é o lugar em que podemos aprender a servir, compreender, discordar de modo sábio e saudável, criticar de modo a inspirar e tantas outras coisas difíceis e ausentes desse nosso mundo resistente a Deus. Esses processos vividos sob a liderança do Espírito Santo fazem da igreja uma evidência sociológica do Evangelho de Cristo Jesus. Por meio da igreja o  mundo pode saber como seria a vida neste planeta se todos vivessem sob o governo de Cristo.  Essa é a ideia!

Apesar das dificuldades e problemas, apesar da igreja decepcionar e produzir desejos de distanciamento, ela é e sempre será fundamental na liturgia da vida e insubstituível na jornada de seguimento a Cristo. Em lugar de desistir dela devemos ser parte das mudanças que a tornem melhor. Devemos assumir nosso lugar no corpo e aprender a ser membros uns dos outros. Devemos nos submeter a Cristo e ser humildes. O que está errada não é a ideia de Deus em nos unir como irmãos e irmãs, para sermos como um corpo. O que está errado é o que temos feito da igreja, com nossos apegos a tradições humanas, nossa incapacidade de amar e de operar sob os critérios da graça. Mas ainda há tempo. Faça a sua parte. A igreja precisa de você e você dela.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui