Zelo religioso e cegueira espiritual

“Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito; contudo, vocês não querem vir a mim para terem vida.” (João 5.39-40)

É possível alguém religiosamente zeloso ser ao mesmo tempo espiritualmente cego? Sim. É possível. Mas, costumamos pensar que isso seja o caso de pessoas cuja religião não envolve o estudo cuidadoso das Escrituras. Pois se as Estudamos estão sendo consideradas, citadas, cridas, está tudo certo. Teremos nossa mente o coração iluminados – “Lâmpada para os meu pés é a tua Palavra e luz para o meu caminho” (Sl 119.105). Mas nos versos de hoje Jesus está se dirigindo a pessoas que estudavam cuidadosamente as Escrituras. Que, como você e eu, acreditavam ter nelas a vida eterna. Mas não tinham. Eram religiosamente zelosos e espiritualmente cegos. Ao mesmo tempo.

Elas não entediam que as Escrituras precisavam da iluminação do Senhor das Escrituras. Que as palavras não poderiam ser compreendidas sem aquele que é a Palavra. Porque os verbos humanos são limitados, independente da língua e do tempo, são insuficientes sem o Verbo Divino. Bem, se já cremos em Jesus, então, tudo certo. Estamos livres da cegueira espiritual. Mas, devemos pensar melhor sobre isso. Pedro precisou da experiência com Cornélio pois estava cego, limitando a graça de Deus (At 10). Paulo enganou-se sobre João Marcos, desprezando-o e considerando-o inútil para obra missionária. Mas Barnabé viu de outra forma e Paulo acabou aprendendo uma grande lição (At 15.36-41 e 1 Tm 4.11). Sempre há o risco de cegueira espiritual apesar do zelo religioso. Apesar de estudarmos cuidadosamente as Escrituras.

Como nos avaliar? Como não nos endurecer? Pois a cegueira espiritual endurece. Precisamos aprender a ouvir e refletir. Precisamos firmemente nos apegar ao que não é negociável – o amor a Deus e às pessoas. Precisamos entender que a letra pode ser tanto caminho quanto desvio. Precisamos do Espírito Santo. As palavras precisam ser compreendias a partir daquele que é a Palavra. Precisamos do silêncio que incomoda a mente. Precisamos crer no escândalo da cruz que anuncia uma graça que rouba de nós o controle. “Terei misericórdia de quem quiser ter misericórdia” (Rm 9.15; Ex 33.19).  Assim é o nosso Deus! Tenhamos cuidado. Cegueira espiritual já adoeceu gente muito capaz. Não estamos imunes, mesmo sendo zelosos na religião e estudantes cuidadosos das Escrituras.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui