Vigilantes da UFBA decretam greve por tempo indeterminado

Vigilantes terceirizados da UFBA estão com salários atrasados e fazem greve nesta terça. Foto reprodução

Os vigilantes que prestam serviço para a Universidade Federal da Bahia (UFBA) iniciaram, na manhã desta terça-feira (27), uma greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada nesta manhã, durante assembleia realizada na portaria do campus de Ondina.

Segundo a categoria, a UFBA possui uma dívida de R$ 15 milhões com a empresa que detém o contrato de terceirização dos cerca de 380 vigilantes.

O Sindicato dos Vigilantes (Sindivigilantes) informou que a empresa garantiu os salários deste mês, mas informou que não terá como arcar com o próximo pagamento. Com isso, a categoria a provou a greve e reivindica que a UFBA pague os salários diretamente aos vigilantes.

A reportagem entrou em contato com a UFBA, que ficou de se posicionar sobre o caso.

Semana passada

Na quinta-feira (22), os vigilantes já havia feito uma paralisação de 24h, por conta da situação. Na ocasião, através de nota, a universidade informou que mantinha diálogo com o sindicato da categoria e com a empresa responsável pela contratação dos vigilantes, na busca de alternativas para reduzir as pendências financeiras.

Na última semana, as aulas noturnas foram suspensas, por conta da paralisação dos vigilantes. Ainda não há informações se o mesmo ocorrerá nesta terça (27).

Ainda na nota da última semana passada, a UFBA disse que a grave situação orçamentária atravessada pela universidade e causada pela defasagem da dotação acumulada nos últimos cinco anos, do contingenciamento de recursos e do bloqueio de 30% de seu orçamento pelo Ministério da Educação. A instituição informou ainda que esse quadro vem impedindo a instituição de manter em dia pagamentos a seus fornecedores e que a Reitoria tem buscado solucionar através de diálogo com o Ministério.

Aulas suspensas

Algumas unidades da Universidade Federal da Bahia (Ufba) decidiram suspender as aulas do período noturno, depois que os vigilantes que prestam serviço para a instituição iniciaram uma greve.

Entre as unidades da UFBA que suspenderam as aulas no período noturno estão o Instituto de Química e Física, a Escola Politécnica, a Faculdade de Direito e o Instituto de Biologia. Não há previsão de quando as atividades vão ser normalizadas nessas unidades.

UFBA comenta

Por meio de nota, a UFBA informou que está ciente da paralisação por tempo indeterminado dos vigilantes e que mantem diálogo com a MAP, empresa responsável pelo contrato com os vigilantes, e também com o sindicato, buscando alternativas para reduzir as pendências financeiras.

A nota informa ainda que, para garantir a segurança da comunidade, solicitou que seja mantida 30% da equipe de vigilantes, como prevê a legislação, além de alertar a Polícia Militar para reforçar o entorno dos campi.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui