Vídeo: comunidades quilombolas do Extremo Sul discutem reconhecimento de patrimônios históricos

Fotos: Arquivo pessoal

Durante esta última semana, representantes de quatro comunidades quilombolas do Extremo Sul participaram de uma audiência junto com o Ministério Público Federal (MPF) na Bahia e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

As comunidades de Volta Miúda (Caravelas), Rio do Sul e Helvécia (Nova Viçosa) e Vila  Juazeiro (Ibirapuã) buscaram discutir assuntos relacionados a sítios arqueológicos do século XVIII e o reconhecimento de espaços como patrimônios históricos.

Visita de técnicos a Helvécia

Segundo Célio Leocádio, articulador do conselho de identidade do Extremo Sul, o sonho das comunidades é acabar com o desrespeito e descaso diante do não reconhecimento de direitos. Um dos intuitos da audiência foi identificar os próximos passos das associações comunitárias.

Sítio arqueológico na comunidade quilombola de Volta Miúda

Célio conta que o Iphan já visitou algumas comunidades, visando realizar um parecer dos espaços. Em Volta Miúda, por exemplo, há um cemitério com datação de 1818. A operação desses documentos trará respaldo para enquadrar as comunidades em leis federais voltadas para quilombolas.

Assista ao vídeo que mostra um túmulo datado de 1890 em Volta Miúda:

1 COMENTÁRIO

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui