Uneb/Campus X adere à paralisação e universidade amanhece com portões fechados

Campus de Teixeira aderiu à paralisação. Foto reprodução internet

Os professores da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) iniciaram, na manhã desta segunda-feira (6), um protesto de cinco dias. Com isso, os portões do campus X, em Teixeira de Freitas, amanheceram fechados.

A categoria reivindica maior orçamento para Educação, manutenção da passagem intermunicipal para docentes e melhorias de infraestrutura. De acordo com a Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb), os 24 campi da universidade, distribuídos por todo o estado, participam do protesto.

A Aduneb informou ainda que atividades culturais acontecerão durante toda a manhã e que os professores vão ter espaço para falar sobre os problemas da Uneb na maioria dos campi.

A greve

Apesar dos inúmeros problemas, o fato que levou ao fechamento da Uneb foi a ameaça do corte das passagens intermunicipais aos professores, que dependem das mesmas para trabalharem nos campi do interior. A luta do Movimento Docente (MD) é a alteração do Decreto de Lei 6.192/97, que limita a compra de passagens, por parte da reitoria da universidade, a apenas 72 km do local de moradia do professor.

De acordo com uma circular do Tribunal de Contas do Estado, o corte das passagens na Uneb deverá ocorrer em outubro deste ano. Desde 2015, a ADUNEB se empenha e pressiona a reitoria para uma solução definitiva à questão. Estudos efetuados pela pelo MD apontam que o investimento da Uneb na compra de passagens representa, aproximadamente, apenas 2% do orçamento da universidade.

Com informações: Aduneb

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui