Uma liturgia para o seu Natal

“Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus.” (Mateus 5.16)

O Natal celebra o nascimento de Jesus. Devemos adotar uma liturgia e segui-la. Uma liturgia constitui-se dos elementos e práticas de um culto. Na perspectiva cristã o culto é uma expressão de adoração a Deus. Se quisermos uma liturgia para celebrar o nascimento de Jesus, ela precisará ser mais que apenas componentes de uma celebração religiosa. O ensino de Jesus, suas palavras e atitudes, nos desafiam a cuidadosamente escolher uma liturgia para a vida. Elementos e práticas que nos levem a adorar a Deus enquanto vivemos. A vida de adoração certamente nos levará a uma assembleia de adoradores – o culto que fazemos no templo. Mas sem adoração na vida, a do templo jamais será um culto.

Portanto, neste Natal, avalie a liturgia de sua adoração existencial. Veja se ela corresponde a Cristo. Olhe para a vida e ensino de Jesus e procure discernir, auxiliado pelo Espírito Santo, que tipo de elementos e práticas devem orientar a adoração que vem oferecendo a Deus na rotina de seus dias. Aquela que acontece enquanto você come, bebe e faz qualquer outra coisa. Aquela que muda sua mente e transforma você possibilitando que experimente a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Há algumas coisas que, acredito, cada um de nós deve considerar e incluir.

Começando do mais importante, o amor. O amor precisa vir primeiro e precisamos crescer na possibilidade de viver inspirados pelo amor, tendo-o como nossa mais importante motivação. Pois o amor é a razão primeira do que Deus faz. Por que pensar que temos uma ideia melhor? Humildade: não pense de si mesmo mais do que convém, do que é adequado. Escolha agir como um servo. Prefira honrar a outros. Não busque honra para si mesmo. O orgulho corrompeu anjos. Não pense que nada faria de mal a você. Oração: a maioria de nós ora menos que deveria e ora mal. Precisamos orar mais para orar melhor. Reflexão: pense mais antes de falar e agir. Ouça, veja e guarde no coração o que edifica. Ore mais! Proclamação: fale mais de sua fé. Não tenha medo e nem fique constrangido. Seja simples e fale a verdade, não use métodos para convencer outros. Apenas testemunhe. Seu testemunho pode salvar vidas!

Creio que esses são bons elementos, que inspiram boas práticas para nossa liturgia de Natal. Uma liturgia que deve ir além de um dia, fazendo do Natal uma data em que, recordando o grande amor de Deus, renovemos o compromisso de viver como pessoas que creem a experimentam Sua presença. Pois, se há tantas luzes no Natal, respondamos também à grande necessidade que o mundo tem do brilho da vida de pessoas cujo amor, humildade, vida de oração, reflexão e proclamação, anunciem que um menino já nasceu e o Reino é dele. E seu nome é Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui