Um planeta de pecadores

“Não há uma única pessoa na terra que sempre faça o bem e nunca peque.” (Eclesiastes 7.20)

Somos um planeta de pecadores. Somos cerca de 7,9 bilhões de pecadores distribuídos pelos mais diversos espaços desse planeta. Há pecadores com títulos acadêmicos e outros que nem sequer sabem ler. Há pecadores com tanto dinheiro que morreriam sem conseguir gasta-lo, mesmo praticando o desperdício. E há pecadores que sobrevivem diariamente na miséria, sem ter o que comer. Não importa a cor da pele, a estatura, o peso, o tipo de cabelo, o local de nascimento ou o sobrenome. Não importa se crê em alguma coisa, em que pessoa ou coisa creia ou se é ateu. Somos todos pecadores. Essa é a afirmação bíblica.

Se você crê na Bíblia, então creia: você é um pecador. E acho bom que não se esqueça disso. Pecadores conscientes são menos perigosos e costumam ser mais humildes também. O pecado é tudo a que Deus diz: isto está errado. Inclui atitudes, pensamentos, ações, sentimentos, reações, anseios, propósitos, posturas, o modo como lidamos com dinheiro ou com a falta dele, etc.. Qualquer coisa pode ser pecaminosa. E o pecado faz mal. Ele pode encurtar a vida, dificultar a felicidade, roubar a paz, produzir injustiça, pobreza, brigas, mágoas e morte.

A igreja tem como vocação de ser um espaço onde cada vez mais e melhor se saiba lidar com o pecado e com os pecadores. Já pensou nela sobre este prisma? Ela não é um ajuntamento de pessoas sem pecado. Mas deve ser um lugar seguro para pecadores porque é depositária da misericórdia, do perdão, da graça e do amor de Deus. Tudo que pecadores precisam! Deus decidiu fazer isso por pecadores: criar para eles uma comunidade de vida.

O Evangelho é a mensagem de esperança para os pecadores. Ele anuncia perdão e reconciliação. E nos inspira a mudanças. Pela graça podemos mudar muito, ao ponto de sermos novas pessoas. Mas jamais poderemos abrir mão da graça, pois continuaremos pecadores. Para não pecarmos mais seria preciso que fossemos destruídos, aniquilados. Mas Deus nos amou e decidiu perdoar e ter misericórdia. Incluiu-nos em seu Reino, apesar de não sabermos nos comportar. Sua resposta ao nosso pecado foi misericórdia, graça e amor.

Quando pecadores não tem consciência da própria pecaminosidade, quando ignoram o significado do pecado e de serem pecadores, quando não compreendem a centralidade do amor como o expediente único na redenção e transformação de pecadores, agem como se a graça fosse apenas uma pequena ajuda e tornam-se vítimas e promotores de hipocrisias. Pecadores que assim agem desenvolvem uma santidade sem piedade, ao estilo fariseu. E infelizmente é o que mais se encontra por aí!

Olhe para si mesmo? Não acomode sentimentos de superioridade e nem julgue seu próximo porque sabe alguns textos bíblicos que condenam o pecado dele. A Bíblia também condena os seus. Todos eles! Não há pecado que a Bíblia não condene, mesmo que o nome do pecado não esteja lá. Reconheça a misericórdia de Deus e seja misericordioso. Celebre a graça de Deus e seja gracioso. Desfrute o amor de Deus e seja amoroso. Entenda de uma vez por todas: só há um pecador a quem deve vigiar, tentar mudar e de quem tem autorização para falar mal: você mesmo.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui