UFSB: Modelo pedagógico garante maior inclusão social, diz reitor

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O sistema pedagógico adotado pela Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) garante uma inclusão social maior do que os modelos tradicionais e o ingresso de estudantes da própria região. A afirmação foi feita pelo reitor da UFSB, Naomar Almeida Filho, que na segunda-feira, 17 de fevereiro, participou, juntamente com a vice-reitora Joana Guimarães, do Programa Comércio em Foco, apresentado por Flávio Guimarães e Antônio Tourinho na Rádio Cidade FM de Teixeira de Freitas.

A UFSB terá três sedes – campus Jorge Amado, em Itabuna, onde fica a reitoria; campus Sosígenes Costa, em Porto Seguro; e campus Paulo Freire, em Teixeira de Freitas.

O campus teixeirense sediará cursos da área da Saúde, entre eles Medicina, cobiçado por todas as cidades. “Descobrimos, depois de muita discussão e muitas audiências públicas, que os grandes cursos procurados são Direito, Medicina e as Engenharias. Fizemos uma espécie de pacto: Itabuna vai sediar as Engenharias e os cursos tecnológicos; Porto Seguro vai sediar Direito e os cursos das áreas de humanas, ambientais e artes; e Teixeira de Freitas terá os cursos de Saúde, uma vez que o município está no centro de uma área cujo raio é 400 quilômetros sem cursos de formação em Medicina.”

Segundo Naomar, o processo de instalação física do campus de Teixeira de Freitas já foi iniciado. A universidade ocupará, inicialmente, o prédio da Secretaria de Educação, cedido pela prefeitura enquanto é construído o campus definitivo. “Já fizemos uma vistoria na rede de saúde do município de Teixeira de Freitas e vimos que ela tem perfeitas condições para abrigar o curso de Medicina.”

Modelo pedagógico

A UFSB adotará o modelo pedagógico norte-americano e europeu, explicou o reitor. Os alunos entram no programa de formação em uma das quatro grandes áreas escolhidas – Humanidades, Saúde, Artes ou Ciências e Tecnologia e só depois escolhem qual o curso vão fazer. “Por exemplo, na área de Saúde, eles entram no bacharelado interdisciplinar em Saúde e depois é que decidem qual curso dessa área vão fazer. Isso possibilita que o aluno faça uma escolha consciente do que é realmente fazer um curso universitário e também que ele mude dentro da universidade, coisa que o sistema atual não permite – se alguém, por exemplo, entra em um curso de Engenharia Mecânica e quer mudar para Engenharia Elétrica, tem que sair e fazer outro processo seletivo, o que é injusto, porque muitas vezes o aluno já cursou até o terceiro ou quarto ano”, salientou.

Inclusão social

Naomar Almeida destacou que o sistema implantado na UFSB permite uma inclusão social muito maior, pois além dos quatro bacharelados nas três sedes, serão abertos 36 colégios universitários em municípios com mais de 20 mil habitantes em toda a região Sul da Bahia. “Nos preocupamos em criar na UFSB um modelo que promova a inclusão da juventude da região. É complexo e difícil de ser feito, mas conseguimos esse modelo dos colégios universitários, que vai permitir a oportunidade dessa entrada não facilitada, mas promovida, a entrada não automática, mas induzida. Cada município que tiver 300 egressos de ensino médio vamos abrir 100 vagas de colégio universitário nesse município. Isso permite uma massificação da educação superior e uma extensão da cultura”, comentou.

“Teixeira de Freitas vai ser polo de uma rede de 11 municípios no entorno, onde teremos essas unidades descentralizadas chamadas colégios universitários, para que os jovens da região possam entrar na universidade sem sair de onde moram e só se deslocar para as sedes quando tiverem a certeza dos cursos que vão buscar no segundo ciclo”, disse.

Segundo o reitor, esse sistema permite a chamada massa crítica, que consiste em colocar os professores especialistas numa dada matéria juntos, e não dispersos. “De modo que teremos, por exemplo, no campus de Teixeira de Freitas, programas de mestrado, doutorado, pós-graduação e pesquisa, porque a massa crítica da Saúde estará reunida em Teixeira, da mesma forma que a massa crítica da área de Humanas e Artes estará reunida em Porto Seguro e a massa crítica das áreas tecnológicas e agrárias, em Itabuna”, ressalta. “Isso faz com que a universidade seja ao mesmo tempo robusta do ponto de vista de pesquisa de extensão de ensino de alta qualidade e também seja um instrumento de inclusão social da juventude da região”, acrescenta.

“Os colégios universitários vão funcionar da forma moderna, que são os ambientes virtuais de aprendizagem. Vamos implantar conexão digital com esses colégios para que o que aconteça na sede os colégios também participem e vice-versa. Os professores vão fazer em rodízio supervisão e avaliação desses alunos.”

Vagas

Em toda a região serão abertas, inicialmente duas mil vagas, sendo 600 vagas de entrada direta nos 4 bacharelados – Saúde, Artes, Humanidades, Ciência e Tecnologia – e 1.400 destinadas aos colégios universitários.

Das 600 vagas de entrada direta, 250 serão destinadas ao campus Paulo Freire, em Teixeira de Freitas. “O bacharelado em Saúde é entrada para os cursos da área – Medicina, Enfermagem, Psicologia e Saúde Coletiva. O de Artes, para cursos de Artes, principalmente para o curso âncora, que é Música; o de Ciência e Tecnologia, para todas as Engenharias; e o de Humanidades terá como carro-chefe Direito, mas também outros cursos serão oferecidos”, afirmou Naomar.

Quando toda a universidade estiver implantada, em 2020, serão abertas 5 mil vagas nos colégios universitários e 1.500 vagas de entrada direta, sendo dessas 450 em Teixeira de Freitas, adiantou o reitor.

Empregos

A vice-reitora Joana Guimarães destacou que estão previstos 617 professores e 623 servidores técnicos-administrativos para as três sedes. Em Teixeira de Freitas devem trabalhar em torno de 200 professores e outros 200 servidores técnicos-administrativos. Além dos servidores diretos – professores e técnico-administrativos -, a UFSB também irá contratar pessoal terceirizado para atuar no serviço de apoio, como limpeza, vigilância e portaria. “Serão contratados, e não concursados”, salientou Joana.

Concursos

“Pretendemos fazer concurso para servidor técnico-administrativo nas próprias regiões onde serão instaladas as sedes – Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas. Tem muita gente que está aguardando essa universidade não só para estudar, mas para trabalhar”, observou a vice-reitora.

Com relação ao concurso para preenchimento de vagas para professor, ela lembrou que para esse cargo a universidade exige que o candidato tenha doutorado.

Orçamento

A Universidade Federal do Sul da Bahia terá um orçamento inicial de aproximadamente R$ 40 milhões anuais para investimentos e custeio de manutenção, adiantou a vice-reitora. De acordo com ela, o orçamento de uma universidade é variável e depende do número de alunos. “A UFSB, por estar começando do zero, tem um orçamento menor. À medida que for aumentando a quantidade de alunos e as demandas em relação a cursos de mestrado e doutorado, também vamos ampliando esse orçamento.”

Aula inaugural

A aula inaugural está marcada para 8 de setembro deste ano em Itabuna. O reitor salientou que os alunos que já fizeram o Enem devem se preparar para entrar no Sisu do meio do ano e então poderão fazer a seleção para ingressar na universidade em setembro.

Em Teixeira de Freitas, haverá uma aula inaugural no dia 21 de setembro.

 

 

 

Fonte: Barbara Martau / O Povo News

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui