UFSB em parceria com a Secretaria de Saúde realiza o primeiro seminário do PET Saúde

Seminário do PET Saúde realizado no auditório da Secretaria de Saúde de Teixeira de Freitas (Foto: OSollo)

O Programa de Educação para o Trabalho em Saúde (PET Saúde ), disponibilizado pelo Ministério da Saúde em parceria com a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) é um projeto que visa promover um processo de integração dos profissionais de saúde, estudantes da universidade e professores a fim de proporcionar a qualificação no combate e prevenção de doenças que atingem a população. O PET Saúde está dividido em três subprojetos referentes aos cursos da área da saúde ministrados pela universidade: Projeto de saúde mental (Psicologia), o projeto que envolve a atenção básica, vigilância e saúde (Medicina) e o projeto de saúde coletiva, que envolve planejamento e gestão em saúde (Saúde Coletiva). Portanto, o PET Saúde objetiva equacionar os problemas de saúde por meio de uma atuação interdisciplinar.

Nesta quinta-feira (27), o auditório da Secretaria de Saúde, no município de Teixeira de Freitas, foi palco do primeiro Seminário Integrador PET Saúde, onde se comemorou 1 ano de integração da universidade com a própria secretaria municipal, com a exposição dos trabalhos dos três subprojetos. Na ocasião estiveram presentes profissionais da área, educadores, estudantes, o secretário municipal de saúde, José Arcangêlo Depisol.

Coordenadora do PET, Ivana Karina (Foto: OSollo)

Além de atuar como um trabalho em conjunto de diferentes áreas da saúde, esta integração se dá até mesmo em nível ministerial, com o propósito de promover a qualificação profissional dos envolvidos com o projeto, como destacou em entrevista ao Jornal O Sollo, uma das coordenadoras do programa PET Saúde, a gestora em saúde, Ivana Karina, que explicou que no “programa de educação para o trabalho, o ministério da Saúde [atua] junto com o ministério da educação, ou seja, numa ação interministerial que objetiva fazer com que os alunos em processo de formação sejam inseridos mais precocemente no campo de prática” para a partir daí “atuarem no SUS, para o próprio SUS”. Ivana ainda destacou o propósito social do projeto, uma vez que os envolvidos estarão inseridos em “um aprendizado prático, eles vivenciam os principais problemas de saúde que as comunidades enfrentam, dialogando com essa comunidade, e a partir dessa vivência na prática com a comunidade, eles conseguem pensar, verificar os principais problemas, e pensar juntos nas soluções”.

Coordenadora do PET Saúde do grupo Medicina, Dra. Márcia Moraes (Foto: OSollo)

Cada um dos subprojetos, que compõem o PET Saúde, possuem seus próprios projetos voltados ao seu campo de atuação, como no caso do curso de Medicina – que se iniciará a partir de 2018 -, onde há três projetos referentes à disciplina, conforme explica uma das coordenadoras do PET Saúde do grupo Medicina, a Dra. Márcia Moraes:

“Apresentamos os nossos três projetos construídos: “De olho nas parasitoses”, que aborda a alta prevalência de parasitoses intestinais no município, com atenção especial para alguns bairros. As nossas ações envolvem desde a identificação dos bairros mais vulneráveis até um curso de extensão sobre as principais Enteroparasitoses e aberto aos profissionais de saúde da Atenção básica, além de ações educativas na comunidade.

O segundo projeto “Perto de casa é melhor” vai atuar na rede de serviços oferecidos aos usuários  hipertensos e diabéticos num processo educativo para evitar deslocamentos dos pacientes para UPA ou hospital, mostrando que cuidar da saúde perto de casa é melhor, ou seja, na atenção primária.

O terceiro projeto “PARCEIROS, na luta contra a Sífilis” aborda a questão da Sífilis no município. Os estudos mostram uma alta incidência desse agravo, nas suas diversas formas, no município. Iremos atuar no estímulo ao pré-natal precoce e na adesão do parceiro ao tratamento, sendo este o projeto mais desafiador já que vamos precisar de muitos parceiros para combater a Sífilis dá nossa querida Teixeira”, disse a Dra. Márcia Moraes.

Decana do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) do Campus Paulo Freire da UFSB, professora Stella Narita (Foto: OSollo)

Por sua vez, a UFSB desempenhou um papel importante para o sucesso do projeto, pois como explicou a decana do instituto de Humanidades, Artes e de Ciências no Campus Paulo Freire na universidade, a professora Stella Narita que disse “a UFSB é uma universidade comprometida com a integração social, com a inclusão da população, é uma universidade inovadora no sentido de que ela não atua nos moldes tradicionais, disciplinares, ela é uma universidade que trabalha numa perspectiva interdisciplinar; os bacharelados e licenciaturas são interdisciplinares, e sempre muito voltada para essa relação com a sociedade […]. O PET Saúde é muito orgânico dentro do projeto da universidade, porque a universidade já propõe inovações nas diretrizes curriculares nacionais”, concluiu a professora Stella Narita.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui