3 pessoas morrem e perito adverte para o risco dos afogamentos no verão

Teixeira Freitas – Os peritos do Departamento de Polícia Técnica de Teixeira de Freitas procederam ao serviço de criminalística legal três ocorrências de afogamentos nestas últimas horas na região.

A primeira vítima foi a adolescente Natália Conceição dos Santos, 13 anos, que residia no bairro Castelinho, em Teixeira de Freitas, e foi vítima de afogamento nas águas do Rio Itanhém quando se banhava na companhia de familiares e amigos.

A segunda ocorrência de afogamento foi nas margens de um córrego nas proximidades do distrito de Santo Antônio, também no município de Teixeira de Freitas, quando o garoto Emerson Xavier da Cruz, 9 anos, teria morrido após se afogar nas águas do córrego quando se banhava na companhia de amiguinhos da mesma faixa etária de idade da sua.

A terceira pessoa a morrer por afogamento foi Silvano dos Santos Morais, 33 anos, que morava no distrito de Itupeva, em Medeiros Neto, e morreu por afogamento nas profundezas de uma represa no interior de uma fazenda no município de Lajedão, de onde seu corpo só foi resgatado por mergulhadores.

Segundo o coordenador regional do Departamento de Polícia Técnica em Teixeira de Freitas, perito criminal Manoel Garrido, o clima quente com sol forte nos finais de semana neste período do ano faz com que centenas de famílias procurem piscinas, rios, represas e balneários. Embora seja uma boa opção, a atenção deve ser redobrada nesta ocasião do ano, principalmente com as crianças, alerta o perito Garrido.

Garrido alerta a população para que tome medidas básicas para evitar acidentes. “A primeira orientação é evitar a ingestão de bebidas alcoólicas. As pessoas devem se alimentar e esperar um tempo para entrar na água”, explicou. Brincadeiras como “empurrões”” ou “trotes” devem ser evitadas porque a profundidade de um rio ou de uma piscina pode ser pequena e saltos podem machucar ou contribuir para um possível afogamento. “Antes de pular ou saltar em rios, lagos ou represas é preciso checar a profundidade do local e ver se não tem buracos ou pedras”, alertou.

Outra dica do perito é que a pessoa tenha noção da sua capacidade física e consciência de que realmente sabe nadar. “Às vezes a pessoa até sabe nadar, mas ao tomar banho em rios com correntezas fortes pode correr o risco de cansar e afogar”, alertou.

A dica é que crianças entrem só em rios rasos ou acompanhados de responsáveis maiores de idade e que saibam nadar. Os pequenos também devem estar equipados com bóias ou flutuadores que garantam ainda mais a segurança. Também é importante não sair das margens do rio, onde é mais seguro. A orientação vale também para balneários.

O perito também orienta para que a população utilize clubes ou balneários com o certificado de vistoria dos Bombeiros em dia. “Para garantir o alvará de funcionamento estes pontos comerciais precisam contar com pelo menos dois salva-vidas, dois coletes e duas bóias”, justificou o perito criminal Manoel Garrido.

O perito lembra que em casos de afogamento, quando não há um salva-vidas por perto, é preciso manter a calma e tomar algumas providências. “É preciso alguém que saiba nadar e ter boa resistência física, além de outra pessoa para auxiliar. Nestes casos as pessoas podem utilizar alguns meios como bóias, cordas e pedaços de madeira”, orientou.

Fonte: Athylla Borborema / Teixeira News

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui