Teixeira de Freitas: Famílias Sem Terra ocupam fórum em ato de repúdio contra a morosidade da Justiça

alt

No último domingo, 03 de abril, famílias do Movimento Sem Terra realizaram vigília nos Fóruns de Justiça de várias cidades do estado da Bahia para denunciar o aumento dos índices de violência no campo e mostrar repúdio em relação à morosidade da Justiça em relação ao caso Fábio Santos, assassinado a mando dos latifundiários de Iguaí.

Após três anos da morte do pedagogo e Sem Terra, Fábio Santos, as investigações estão travadas no poder judiciário, e as famílias estão sem nenhuma resposta.

Na manhã do dia 4, uma marcha saiu, simultaneamente, dos Fóruns de Feira de Santana, Maracás, Barreiras, Eunápolis, Teixeira de Freitas, Bom Jesus da Lapa, Juazeiro e Iguaí, em direção ao centro das cidades, para rememorar o ocorrido junto a sociedade.

Nas ruas, os trabalhadores estarão cobrando também, justiça em relação ao massacre realizado em Eldorado dos Carajás, no Pará, onde 21 trabalhadores foram executados pela força policial, no dia 17 de abril de 1996.

Em 2016, o massacre completa 20 anos de impunidade e os trabalhadores Sem Terra estarão nas ruas denunciando a violência no campo.

alt

 

Caso Fábio

No dia 02 de abril de 2013, Fábio foi executado com 15 tiros na frente de familiares enquanto seguia ao distrito de Palmeirinha.

“Quantas vezes os nossos camponeses serão assassinados?”, questiona a direção do MST na região. Para Evanildo Costa, da direção nacional, os atos de repúdio fazem parte das ações da classe trabalhadora iniciada em março contra a criminalização dos movimentos populares.

“Durante o mês de abril se realizará diversas ações desde o fechamento de BRs, ocupações de latifúndios até ocupações de órgãos públicos para denunciar as injustiças cometidas contra a classe trabalhadora” concluiu Costa.

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui