Teixeira de Freitas: Em Seminário sobre a Previdência Social, especialista afirma que Governo Temer manipulou dados

Foto: Foco no Poder

O deputado federal Uldurico Júnior foi um dos parlamentares que contrariaram o Palácio do Planalto ao votarem contra a polêmica Reforma da Previdência, que ainda tem dividido opiniões no debate público nacional. Tendo em vista as controvérsias em que envolvem a reforma promovida pelo Governo Temer, o deputado baiano foi responsável por conduzir no dia 9 de junho, no interior do auditório do Shopping Teixeira Mall, o 1º Seminário Sobre a Previdência do Extremo Sul da Bahia, que assim como o nome sugere visou elucidar de forma didática a respeito deste tema tão controverso.

Foto: O Povo News

A tarefa de expor todo a complexidade em que envolve a reforma da previdência ficou a cargo do vice-presidente da Comissão de Seguridade Social da OAB/DF, o Dr. Diego Monteiro Cherulli que deixou claro que diferente do que é apregoado pelos defensores da reforma de que haveria um déficit, há na verdade um excedente na previdência, pois segundo o mesmo aqueles que compõem o governo Temer “manipularam a lei, manipularam a constituição para induzir, fazer um cálculo maquiado de que existe um déficit”, explicou o advogado ao público presente.

Mais adiante, o Dr. Cherulli detalhou que “o superávit da Seguridade Social tem sido tão elevado que anualmente são desvinculados recursos por meio do mecanismo da DRU (Desvinculação de Receitas da União), majorada para 30% em 2016. Tais recursos são retirados da Seguridade Social e destinados para outros fins, especialmente para o pagamento de juros da dívida pública, que nunca foi auditada, como manda a Constituição”. Segundo o especialista, muito diferente do que foi divulgado ao longo da campanha do governo federal, sobram dezenas de bilhões de reais na previdência.

Tendo em vista essa manobra indevida por parte do governo federal, o Dr. Cherulli defendeu durante sua fala a importância de exigir “que o Governo Federal divulgue com ampla transparência as receitas da Seguridade Social, computando todas as fontes de financiamento previstas no artigo 195 da Constituição Federal, mostrando ainda o impacto anual da DRU, as renúncias fiscais que têm sido concedidas, a desoneração da folha de salários e os créditos tributários previdenciários que não estão sendo cobrados”.

Foto: Repórter Coragem

Como se não bastasse as falácias divulgadas por meio de uma campanha que custou alto preço aos cofres públicos, com o intuito de ludibriar a população brasileira, apresentando uma visão apocalíptica do cenário atual, a reforma defendida pelo atual governo acabou por deformar o sistema da previdência social de modo que se acentuou as dificuldades para a obtenção da aposentadoria e de outros benefícios para os brasileiros. Portanto, é necessário que o debate prossiga, desta vez, com toda a transparência que o tema merece.

 

 

 

 

 

 

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui