Teixeira: audiência pública discute contrato com a Embasa

Audiência ocorreu na Câmara Municipal. Fotos: Elizeu Portugal/OSollo

Na manhã desta sexta-feira, dia 25, representantes dos poderes executivo e legislativo municipais, da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) e da comunidade participaram de uma audiência pública sobre o contrato de prestação de serviços de água e saneamento em Teixeira de Freitas.

As discussões aconteceram na Câmara Municipal, compondo uma agenda que prevê novos encontros e uma ampliação dos debates. A renovação do contrato entre a prefeitura municipal e a Embasa visa os próximos 30 anos.

O secretário de Administração e Planejamento, João Carlos Vieira

Segundo o secretário de Administração e Planejamento, João Carlos Vieira, a audiência foi regulamentada por decreto de convocação.

Nesse contrato, busca-se uma maior eficiência dos serviços, a diminuição dos custos, reduzindo o impacto para o cidadão, e ampliação visando atender toda a comunidade teixeirense“, comentou.

O gerente de negociações da presidência da Embasa, Ricardo Torres

Para o gerente de negociações da presidência da Embasa, Ricardo Torres, são apresentados o escopo do contrato, direitos e obrigações, metas e investimentos.

A gente está aqui trazendo cerca de 100 milhões de reais em investimentos, que vão ser suficientes para expandir e manter a universalização dos serviços nos próximos 30 anos. A gente está aqui fazendo uma avaliação popular hoje“, informou o gerente.

O vereador Ronaldo Cordeiro, presidente da Casa Legislativa

O vereador Ronaldo Cordeiro, presidente da Casa Legislativa, destacou que a renovação do contrato deve vir incrementada de tudo que Teixeira precisa e do que cabe à Embasa.

Nós tivemos uma primeira etapa para observamos e apresentarmos propostas. Nesta etapa, a sociedade tem também a oportunidade de apontar algumas coisas. A próxima audiência está prevista para a semana que vem com uma participação ainda maior“, disse Ronaldo.

O vereador Wildemberg Guerra (Sargento Berg)

O vereador Wildemberg Guerra (Sargento Berg) salientou que a discussão vem desde 2017, após o vencimento do contrato com a Embasa.

Nós temos algumas ponderações acerca desse contrato e direcionar uma responsabilidade socioeconômica e ambiental junto a esse contrato. Vou fazer esse pedido, inclusive que um percentual dessa arrecadação feita pela empresa seja voltado para investimentos na nossa cidade, em revitalização de nascentes, limpeza dos nossos rios etc“, comentou Berg.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui