Suzano e Paper Excellence: quem comprará a Fibria e se tornará o gigante da celulose?

A compra da Fibria pela Suzano é um negócio avaliado em até US$ 12 bilhões. Foto O Petróleo

Todos esperavam que ontem (12/03) fosse batido o martelo sobre a negociação, em andamento, da possível venda da Fibria, uma das maiores empresas de celulose do mundo. Quem compraria? A Suzano, sua concorrente brasileira. Segundo informações publicadas segunda (12/03), pelo jornal “Valor Econômico”, a brasileira já fechou toda estrutura de financiamento para a compra da Fibria, em um negócio avaliado em até US$ 12 bilhões, ou seja, algo próximo de R$ 70,00 por ação. Considerando o último fechamento do papel, a Suzano pretende oferecer um prêmio de 3,6% pela concorrente.

Suzano negocia desde o mês passado essa compra. Foto divulgação

De acordo a “Istoé Dinheiro”, no domingo, 11 de março, o negócio entre Fibria e Suzano estava praticamente fechado. Faltava apenas o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que possui 29% das ações ordinárias da Fibria, dar o aval para a transação, coisa que aconteceria na segunda-feira, 12 de março. Mas, eis que a holandesa Paper Excellence, controlada pela família Wijaya, a mesma que é dona da Asia Pulp and Paper (APP), oficializou uma proposta arrebatadora na manhã da mesma segunda-feira. Ela ofereceu R$ 40 bilhões pelo controle da companhia e embaralhou novamente um negócio que caminhava para um desfecho final com as bênçãos do BNDES.

Sede da Paper Excellence fica em Richmond, BC Canadá

Presente em quatro estados brasileiros, entre eles Mato Grosso do Sul, no município de Três Lagoas, a Fibria informou por meio de nota oficial que já consultou os acionistas controladores (Votorantim S.A. e BNDES Participações S.A.) e obteve o seguinte retorno:

“Estamos mantendo discussões com a Suzano e seus acionistas controladores, com vistas a avaliar possível negócio envolvendo as duas corporações. No entanto, as partes envolvidas ainda estão analisando as eventuais possibilidades e não há definição dos termos e condições para a conclusão de um possível negócio”, pontua o comunicado.

O jornal “Valor Econômico” antecipou que a Suzano já fechou toda estrutura de financiamento para a compra e o negócio foi avaliado em até US$ 12 bilhões, ou seja, algo próximo de R$ 70 reais por ação. Considerando o último fechamento do papel, a Suzano pretende oferecer um prêmio de 3,6% pela concorrente.

Colocando as propostas lado a lado, os analistas do Bradesco apontam que o valor por ação oferecido pelas duas empresas equivale a R$ 70 por ação, mas a Suzano está um passo à frente da sua rival, uma vez que já estruturou uma proposta: “parece que a empresa brasileira está em estágio mais avançado para comprar a Fibria neste momento”, destaca a equipe do banco. Vale lembrar que a Paper Excellence acabou de desembolsar R$ 15 bilhões pela Eldorado Celulose.

No comunicado regional da Fibria, a empresa se comprometeu a comunicar os eventuais desdobramentos do assunto, mas reforça de que não é parte dessas negociações, coordenadas pelos acionistas citados, e por isso não pode antecipar nenhum esclarecimento adicional.

Compilação Istoé Dinheiro, Correio do Estado, G1 e Infomoney

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui