Submissão

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo que te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno.” (Salmos 139.23-24)

Deus conhece e sabe todas as coisas. Deus conhece todas as pessoas. Como então o salmista lhe pede “sonda-me e conhece o meu coração”? Isso se chama submissão: a escolha de não viver apenas das próprias perspectivas, mas buscar a avaliação e orientação de Deus. Essa é uma das ideias e significado de uma vida cristã. Tudo que Deus é ou pode fazer não necessariamente produz efeitos em minha vida. Ele não é como a gravidade que, querendo ou não, estarei definitiva e irresistivelmente afetado por ela. O que há de mais especial e precioso na realidade da existência de Deus é que Sua influência sobre minha vida é uma possibilidade e não uma imposição. Se eu não quiser, posso deixa-lo fora de minha vida. Por isso é possível um relacionamento entre seres humanos e Deus. É porque posso resistir e descrer, que posso crer e me submeter.

Nem todos estamos escolhendo a fé e submissão a Deus. Muitos vivem como se Deus não existisse. Muitos não creem que Ele exista. Outros até consideram a possibilidade de que Ele exista, mas neste caso, não seria alguém com quem se possa relacionar, sendo muito mais uma força que uma pessoa. Uma coisa e não alguém para se conhecer e manter um relacionamento. Alguém que possa participar de nossas vidas, orientar-nos, consolar-nos, fortalecer-nos. A ideia de um Deus pessoal, que ama, compreende, se interessa ou intervém lhes parece inconcebível. Há quem pense que Deus não nos criou, nós é que o criamos. Logo, Ele existe apenas em nosso imaginário. Pensam que, quem crê como orienta a fé cristã, embarca numa ilusão.

Ser cristão é crer, no Deus anunciado por Jesus. “Eu sou o que sou”, afirmou Deus a Moisés. Jesus nos ensina que o Deus que tudo criou é um Pai amoroso, é um Deus carinhoso. Bem-aventurada a pessoa que crê no Deus que é e, crendo, deixa-se surpreender e anseia conhece-lo. Bem-aventurada a pessoa que pela fé relaciona-se com Deus e dele recebe clareza sobre si mesmo. Sonda-me e conhece meu coração não é um pedido para que Deus descubra, mas para que revele quem o salmista é. O salmista quer saber o que Deus sabe sobre si. Quer ser guiado pelo olhar de Deus. Essa submissão pode mudar tudo em nossa vida. Veja a que distância o salmista está de tantos que sequer creem que Deus exista. Ele não apenas crê, ele pede proximidade. Ele crê que Deus o conhece e quer se conhecer a partir do conhecimento de Deus. Submissão. Ela é o sinal de que verdadeiramente cremos em Deus.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui