Somente em Cristo

“Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres.” (João 8.36)

A liberdade era um valor elevadíssimo para os judeus do primeiro século. Chegavam a  orgulharem-se de serem filhos de Abraão e de serem livres, embora estivessem politicamente dominados por Roma (Jo 8.33). No tempo de Jesus a grande maioria das pessoas era escrava. Jesus nasceu numa nação escravizada, embora sob o direito romano, desfrutassem certa liberdade. Havia em meio à nação diversos movimentos políticos e alguns armados, cujo objetivo era conquistar novamente a plena liberdade. Após ressuscitar e antes de subir aos céus, na última conversa que teve com seus discípulos, Jesus falou sobre o cumprimento da promessa da descida do Espírito Santo e um deles perguntou: “É neste tempo que vais restaurar o reino a Israel?” (At 1.6) Ele estava falando sobre voltar a ser uma nação livre e independente de Roma.

Mas Jesus não veio para resolver a questão política de Israel. Jesus veio para trazer um outro tipo de liberdade. Não somente aos judeus, mas a todo ser humano, porque todos pecaram. “Liberdade” era apenas um substantivo tomado como metáfora para falar de algo que só teremos por meio d’Ele. Jesus poderia dizer: “Portanto, se o Filho os enriquecer, vocês de fato serão ricos”, para um mundo que pensa em riqueza como solução para a vida. Poderia dizer: “Portanto, se o Filho os ensinar, vocês de fato terão conhecimento”, para um mundo que acredita no conhecimento como solução de tudo. O que Jesus está nos dizendo é que, somente por meio d’Ele e apenas se Ele agir em nossa vida, encontraremos o que tanto necessitamos, teremos o que tanto nos faz falta. Ele está se declarando indispensável à nossa vida!

Você crê que Ele seja indispensável à sua vida? Ele disse que é por meio de Sua morte que recebemos vida, porque recebemos perdão e somos reconciliados com Deus (Mt 26.28). Ele disse ser o único meio, o único caminho para nosso relacionamento com Deus (Jo 14.6). Ele disse que quem nele crê jamais morrerá eternamente, pois receberá vida eterna (Jo 11.25). E se recebemos dele o perdão que nos livra da culpa, a reconciliação que nos dá comunhão com Deus e nele temos a certeza e segurança de que jamais estaremos separados de Deus e que a morte será o começo da vida, então, de fato, nele somos livres. Somos ricos e já descobrimos a mais sublime verdade da vida: Deus nos ama e nos deu Seu Filho para que, pela fé nele, tenhamos vida, e vida plena!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui