Sociedade realiza manifestação pacífica contra a desativação do terminal rodoviário de Guaratinga

Sociedade se manifesta contra a desativação do terminal rodoviário de Guaratinga. Fotos Ascom

Dezenas de pessoas se reuniram por volta das 8h da manhã de quarta-feira, 22 de maio, na praça da Rodoviária, em Guaratinga, para protestar contra a desativação do Terminal Rodoviário existente no município. Além da possível desativação do Fórum da Comarca local, da Delegacia de Polícia Civil, que está funcionando precariamente (já interditada parcialmente).

A manifestação também teve como pauta a busca de melhorias dos serviços oferecidos pelos Correios, quanto a entrega de correspondências e encomendas, e do Banco do Brasil, principalmente no autoatendimento, que nos finais de semana fica, na maioria das vezes, sem dinheiro, dada a falta de mais segurança na cidade; e por fim a pavimentação asfáltica da BA-283, que liga Guaratinga a Santo Antônio do Jacinto/MG.

A iniciativa foi de Walter Carvalho, uma das lideranças da Igreja Católica, e o apoio irrestrito de várias entidades, como associações, cooperativas, sindicatos, Igreja Católica, Igrejas Evangélicas, profissionais liberais, servidores públicos e a população em geral.

Mais de dez entidades se reuniram para esse movimento, a exemplo, APLB/Sindicato, SISPUG- Sindicato dos servidores públicos, Sindicato dos Produtores Rurais, AMEG, ASAPMAG, Cooperag, Ceplac, Associação Comercial, Pastoral da Criança, Apae, Associação Comunitária Nossa Senhora da Conceição, Câmara Municipal e OAB, representada pelos advogados, além de outras entidades filantrópicas.

Após a manifestação pacífica que ocorreu em frente ao Terminal, os manifestantes se dirigiram até o plenário da Câmara de Vereadores, onde acompanharam a Sessão Ordinária e os discursos dos parlamentares ali presentes, que se comprometeram a buscar meios de agilizar a restauração do Terminal Rodoviário, e outros órgãos que estão correndo risco de serem desativados.

O vereador Isaías Resende já havia apresentado nas sessões anteriores dois requerimentos, um sobre a Convocação da gestora municipal para prestar esclarecimentos sobre a desativação do terminal, e outro sobre informações do imóvel onde funcionava a Rodoviária, mas até o fechamento desta matéria, não houve resposta satisfatória.

Um abaixo-assinado e uma moção pública de repúdio serão protocolados na Secretaria Geral da Câmara Municipal, para adoção de providências junto as esferas de Governo Estadual e Federal, além das Instituições Públicas como Correios, Banco do Brasil e Tribunal de Justiça da Bahia.

As entidades esperam ter uma resposta positiva do Poder Público local, de modo a solucionar os transtornos causados à população, quanto a reativação da Rodoviária de Guaratinga, e  Delegacia Local, e a intervenção para evitar a desativação do Fórum da Comarca, além de outras providências que devem ser adotadas pelo Legislativo, junto ao Executivo Municipal.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui