SÓ DEVEDORES CUMPREM A LEI

“Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei.” (Romanos 13.8)

Há pessoas que sempre se sentem devedoras. Explicam-se o tempo todo, sentem-se culpadas por qualquer coisa e preocupam-se muito com o que as outras pessoas possam estar pensando delas. Depois de um certo limite, esse senso de dívida pode indicar uma enfermidade emocional. A propósito, não costumamos levar muito a sério as enfermidades emocionais. Mas deveríamos. Elas interferem profundamente em nossa qualidade de vida e em nossa espiritualidade. Quando um dente dói sabemos que ignorar a dor (se pudéssemos) seria uma péssima decisão. Há questões emocionais que se ignorarmos será igualmente uma péssima decisão. A superação de feridas emocionais pode exigir cuidados especializados, mas muitos ignoram ou são preconceituosos quanto a isso. Há quem creia que poderá se resolver pela oração. Embora pareça uma atitude bonita, de fé, pode ser um grave equívoco. Não costumamos ter a oração como resposta padrão para uma dor de dente. Mas as vezes é como  tratamos nossas dores emocionais.

Mas, voltando ao ponto inicial, se há quem viva preocupado com o que os outros pensam de si,  há quem ignore e desconsidere completamente o outro. E dificilmente se interesse pelo que os outros, mesmo os mais próximos, tem a dizer sobre seu comportamento. Isso também é um equívoco. Todo extremo costuma não ser bom. Uma vez alcançados pelo Evangelho de Cristo, estamos diante do amor de Deus por nós. Quando começamos a crer no amor de Deus e levamos a sério seu mandamento que nos manda amá-lo de volta e amar o nosso próximo como amamos a nós mesmos, uma revolução começa em nosso mundo interior. Os extremos deixam de ser nosso lugar. Não apenas isso, passamos a ser guiados por um senso saudável de interdependência. Pela ação do Espírito Santo, nos equilibramos melhor entre a nossa consciência e a consciência dos outros, de um jeito que nos ajuda a crescer. Um processo de amadurecimento e cura se inicia para não mais parar!

No amor de Deus a nossa relação com a vida, com as pessoas e com as regras deixa de ser um critério de aprovação/reprovação. Pois nossas culpas foram pagas por Deus em Cristo. Ele nos amou e nos adotou como filhos. Ele o fez sabendo muito bem quem somos, não precisamos ter medo! Sua aceitação é nossa libertação do julgamento de quem não consegue nos aceitar. Quanto mais isso é claro para nós, mais desejamos honrá-lo e o seu amor nos inspira a amar as pessoas. Viver comprometidos em amar a Deus e às pessoas é matricular-se numa escola em que sempre teremos lições a aprender e cuja formatura não acontecerá aqui. Sempre haverá atitudes de amor que ainda não fomos capazes de protagonizar. Estaremos em dívida! Mas, é isso que nos tornará cumpridores da lei: viver como devedores do amor. Uma dívida que não envergonha! Inspira. Que desaloja a espiritualidade interesseira, que faz do bem e do certo moedas de troca por bênçãos. Seguir a Deus é ser devedor do amor! Aproveite o dia e abata um pouco de sua dívida. Ame!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui