Servidores estaduais da Saúde preparam greve para dia 14 de abril

Com a palavra de ordem “Vamos parar para acertar!”, os servidores estaduais da Saúde deflagraram na segunda-feira (21) à noite, em assembleia da categoria na Associação dos Funcionários Públicos, convocada pelo Sindsaúde-Ba, campanha de mobilização preparatória para a paralisação dos serviços de saúde.

A categoria marcou nova assembleia para o dia 14 de abril, às 17h, quando será votada a proposta de greve por tempo indeterminado. Até lá, serão realizadas reuniões e plebiscito sobre a paralisação nas diversas unidades.

De acordo com o sindicato, além de não avançar nas negociações sobre o pagamento da URV, cuja ação patrocinada pelo Sindsaúde-Ba já foi vitoriosa na Justiça (transitou em julgado desde maio de 2010), o governo não atendeu a reivindicação da incorporação de 33% da GID (Gratificação de Incentivo ao Desempenho) para todos os servidores com jornada de 240 horas, independentemente do valor do salário.

Na assembleia do dia 21, foi rejeitada a proposta apresentada na semana passada pela Secretaria da Administração (Saeb), de pagar a GID de forma escalonada, contemplando apenas a metade dos servidores de 240 horas com os 33%. Os demais receberiam percentuais inferiores, mesmo assim sem qualquer garantia de quando a incorporação seria efetivada.

“A lei é clara e todos os servidores de 240 horas têm direito aos 33% da GID. A ideia do governo, com essa proposta, é dividir os trabalhadores, mas vamos mostrar que estamos unidos e mobilizados”, reagiu o presidente do Sindsaúde-Ba, Sílvio Roberto dos Anjos e Silva. Ele lembra que desde janeiro vem enviando ofícios ao governo pedindo audiência para discutir a incorporação da GID e outras reivindicações da categoria, sem qualquer resposta favorável. Só no final da semana passada, às vésperas da assembleia que votaria o indicativo de greve, a Saeb marcou reunião para apresentar a proposta da GID escalonada.

Manifestação no CAB
Nesta quinta-feira, dia 24, às 9h, os servidores da Saúde promovem manifestação em frente à Governadoria, no CAB, para pressionar o governador Jaques Wagner a pagar a URV da categoria.

 
Fonte: Tribuna da Bahia

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui