Sem pastas, Wagner não sabe quem indicar

O governador Jaques Wagner (PT) enfrenta um dilema para poder indicar os representantes baianos que têm o seu aval para integrar o ministério da presidente eleita Dilma Rousseff. Ele tem afirmado publicamente que “o importante é o projeto”. Mas, na verdade, a discussão sobre os possíveis ministeriáveis voltou à estaca zero. O encontro que Dilma teria nesta segunda-feira (6) com o mandatário de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), foi adiado. A reunião serviria para nortear como serão concedidos os espaços da chamada “cota do Nordeste” no governo. Como Wagner entende que só poderá recomendar nomes conforme as pastas a serem ocupadas, devido ao perfil técnico que os cargos requerem, as indicações estão suspensas temporariamente. Enquanto isso, a chefe da Casa Civil do Estado, Eva Chiavon, que representa o Palácio de Ondina, e a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, seguem a cumprir agenda em Brasília. Pelo menos uma das duas poderá integrar a equipe da primeira gestão feminina do Brasil.

Fonte: Evilásio Júnior / Bahia Notícias

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui