Rui e Paulo Souto se provocam em debate final antes da eleição

No meio do debate, o caso do Instituto Brasil foi citado

Depois de um início morno, candidatos ao governo do estado no debate da TV Bahia na noite desta terça-feira (30) passaram ao ataque e os governos do DEM e do PT foram novamente os alvos preferenciais. Grandes temas como saúde, educação e segurança apareceram no encontro entre os candidatos, o último antes da eleição de domingo. Participaram do debate os candidatos Paulo Souto (DEM), Rui Costa (PT), Lídice da Mata (PSB), Marcos Mendes (PSOL) e Rogério da Luz (PRTB).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dois dos blocos tiveram temas sorteados pelo mediado, o jornalista da TV Globo William Waack, e os outros tiveram temas livres. Voltaram a ser discutidos temas como pagamento da URV dos servidores públicos e segurança na Bahia.

No segundo bloco, Souto foi chamado de “testa de ferro” de ACM Neto e ganhou direito de resposta, afirmando ao candidato Marcos Mendes que iria assinar o documento se comprometendo a pagar a URV. No debate anterior, Mendes entregou o documento a todos os candidatos e disse que eles não quiseram assinar. “Eu me comprometi a assinar no último debate e me comprometo de novo a assinar o documento que você me colocou. Não vamos fazer oportunismo com uma posição séria”, disse Souto.

O tema também levou a ataque de Da Luz a Rui Costa, dizendo que o petista também não se compromete a pagar URV. Lídice, a primeira a tratar do tema na noite, afirmou que se compromete a pagar o valor.

No meio do debate, o caso do Instituto Brasil foi citado. Marcos Mendes disse que as acusações do DEM seriam “o sujo falando do mal lavado”, mas Souto afirmou que nunca esteve ligado a casos de corrupção e que o fato citado do Instituto Brasil, que envolve membros do PT, é uma denúncia trazida por uma revista a partir de irregularidades detectadas pelo Tribunal de Contas e investigada pelo Ministério Público.

Paulo Souto e Rui Costa, embora não tenham trocado questões, se alfinetaram ao longo do debate. Lídice afirmou que os dois usaram o debate como um horário eleitoral e que estão mais preocupados em brigar do que com a população. A candidata do PSB, depois de criticar Rui, foi lembrada de que participou do governo petista por mais de sete anos – o candidato aproveitou para alfinetar a gestão do partido rival na pasta de Turismo.

O petista novamente investiu em bastante em destacas as obras de infraestrutura e mobilidade do governo do PT. Ele falou também de obras que estão sendo planejadas, como o Porto Sul, duplicação de BRs e implantação do VLT, entre outros. É emprego e desenvolvimento chegando ao interior da Bahia. E essas grandes obras de infraestrutura vão continuar para melhorar sua vida”.

O ex-governador Paulo Souto foi alvo de várias críticas e em determinado momento do debate afirmou que estava sendo alvo de um ataque em grupo. “Como dizem os jovens, estão querendo me bater de galera”.

Nas considerações finais, o candidato Da Luz seguiu linha parecida ao do seu colega de partido, o presidenciável Levy Fidelix, e se posicionou contra o kit gay, a PL 122, que fala da criminalização da homofobia, além de criticar o aborto e candidatos que são a favor da liberação da maconha.

 

 

 

Fonte: Correio

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui