Radialista vítima de violência é internado em hospital

O radialista Zezito Néri, funcionário da Rádio Excelsior da Bahia e um dos diretores do SINTERP, teve sua residência invadida por desconhecidos, na manhã de quarta-feira (15/12), e foi alvejado por um tiro, encontrando-se internado em um hospital de Salvador. É lá que concentram-se seus familiares e amigos, aguardando por boas notícias e realizando visitas.

O branco dos jalecos toma conta do local. Ironicamente, branco é a cor da paz, um estado que buscamos incessantemente e que parece cada vez mais difícil de ser alcançado. A paz que desejamos para encerrar este ano e encarar 2011 de frente, olho no olho, haja o que houver.

Uma semana antes do Natal, período em que a paz é semeada entre os seres humanos, nosso colega foi baleado, mostrando que a barbárie da violência não respeita mais nada.

Morador de Marechal Rondon, Zezito é figura popular na vizinhança. Sua filha Andréia revelou que chegou na sala de sua casa e viu dois bandidos na porta. “Por quê você atirou no meu pai?”- ela perguntou. Eles não responderam, pois para isso não existe resposta. Nada justifica a violência. Mesmo entregando a chave do carro, a família não pôde evitar que ele fosse baleado. Registraram queixa na delegacia e ainda aguardam as providências da polícia.

A média de assassinatos na Região Metropolitana de Salvador chega a oito por dia, a maioria decorrente de arma de fogo. A violência em Salvador aumentou 177% nos últimos dez anos. Em 2010 foram mais de 1846 homicídios. Essas estatísticas já não nos apavoram mais, parecem corriqueiras. Estamos acostumados a conviver com isso.

Mas, você já parou para pensar no que significa oito pessoas morrerem por dia? Não de morte natural, mas vítimas de agressão. Você já parou para pensar no quão violenta é a nossa sociedade? Trabalhadores são assassinatos e a polícia não toma providência alguma.

A esposa de Zezito, Rita Celeste de Jesus, afirmou que uma pessoa bateu na porta, o cunhado foi atender e voltou correndo dizendo que um homem armado estava lá. “Não se pode mais chegar na janela que a violência está tomando conta da nossa rua, mas não pensei que ela fosse entrar dentro da minha casa. Aqui vivem famílias, todo mundo lutando para vencer na vida. Nunca pensei que isso fosse acontecer”, explicou.

Em 2002, morriam no Brasil, vítimas de homicídio, proporcionalmente 46% mais negros do que brancos e em 2007, cinco anos depois, essa proporção se elevou para 108%. A população negra de Salvador é ainda mais atingida pela violência do que os demais. Jovens negros são assassinados a todo momento no país e na cidade e ninguém faz nada. O SINTERP repudia a violência que toma conta da nossa sociedade e reivindica que as autoridades tomem providências para encontrar os responsáveis pela agressão contra o colega. Enquanto não descobrirmos os culpados não poderemos descansar, pois mais pessoas inocentes podem estar sendo vitimizadas neste momento.

No hospital, um bebê dava alta da UTI. Era a promessa de uma nova geração chegando. Geração que vai mudar a nossa sociedade. Geração que vai germinar no Brasil como um novo ano. Que ele chegue trazendo mais amor no coração das pessoas.

Fonte: Álvaro Assunção

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui