Radiação solar pode causar reações e sintomas na pele; veja como evitar

Bem Estar desta quinta-feira (16) explicou efeitos do verão para a saúde.

Na praia, é melhor comer alimentos quentes para evitar contaminações.

Quando começa o ano, muita gente aproveita as férias de verão para curtir a praia, a piscina e tudo de melhor que o sol traz.

Porém, apesar de todos esses prazeres e benefícios, o calor pode também causar alguns desconfortos, como moleza, desânimo e diarreia ou até mesmo desencadear certas alergias de pele, como explicaram o cirurgião do aparelho digestivo Fábio Atuix e a alergista Ariana Yang no Bem Estar desta quinta-feira (16).

Uma das complicações mais comuns que podem ocorrer nessa época do ano é o que muita gente chama de alergia ao sol, uma sensibilidade aos raios solares, especialmente ao raio UVA, que pode dar sintomas e reações principalmente na pele, como explicou a alergista Ariana Yang.

Por isso, para quem é sensível ao sol, a dica é comprar sempre um filtro solar que tenha não só a proteção contra o raio UVB, mas também contra o raio UVA, para evitar esses sinais, como recomendou a médica na reportagem da Natália Ariede (veja no vídeo).

Essa sensibilidade ao sol pode se manifestar de três formas: através da urticária solar, que causa lesões semelhantes a uma picada de inseto na pele; através da erupção polimórfica a luz, que deixa a pele avermelhada, com coceira, com descamação e com manchas logo nos primeiros dias depois da exposição; e através da fotossensibilidade, quando o paciente sente um incômodo nas áreas expostas ao sol, como vermelhidão e sensação de queimação na pele. Normalmente, a fotossensibilidade é mais comum no rosto e pessoas muito brancas podem ter, mas a médica alerta que o problema pode ter relação também com doenças autoimunes, como o lúpus e, por isso, é importante investigar.

Para desenvolver qualquer alergia, no entanto, é preciso primeiro entrar em contato com a proteína causadora e nem sempre a reação vai acontecer nesse primeiro momento, podendo ocorrer em qualquer etapa da vida.

No verão, algumas alergias podem piorar, como por exemplo, a dermatite atópica, que afeta 15% das crianças e 5% dos adultos. Existem várias intensidades do problema, desde uma dermatite leve, com apenas coceira, até uma mais grave, com lesões de eczemas em regiões de dobras do corpo, como braços, pernas e pescoço. Na praia, essas irritações ocorrem por causa do contato com o suor e areia já que a pele desses pacientes é muito sensível e muito mais seca.

A dica para evitar essas reações, portanto, é beber bastante água e hidratar bem a pele – existem inclusive hidratantes específicos para quem tem dermatite grave. Quem tem a doença geralmente toma mais de um banho por dia porque sua muito e fica com a pele coçando, mas o sabonete e a água quente retiram a proteção da pele, aumentando ainda mais o problema. Por isso, outra recomendação é tomar apenas um banho por dia, preferencialmente com água morna ou fria, e passar sabonete apenas nas partes íntimas, axilas e pés.

Entre os sintomas das reações alérgicas, estão também a diarreia, vômitos e dor abdominal, que podem ser semelhantes aos sinais de uma intoxicação alimentar, como explicou o cirurgião do aparelho digestivo Fábio Atui. No caso da diarreia, os sintomas podem aparecer seguidos de febre, calafrios, muco e sangue nas fezes. Nesse caso, é melhor procurar ajuda médica para avaliar se a contaminação passou das paredes intestinais e causou infecções em outros órgãos. No entanto, de maneira geral, a recomendação é beber bastante líquido e esperar os sintomas passarem.

Fora as reações alérgicas, o calor pode gerar também diversos outros incômodos, como moleza, desânimo e mal-estar.

O cirurgião do aparelho digestivo Fábio Atui explica que essa indisposição é uma tentativa do corpo de manter sua temperatura ideal, entre 36° e 37°C.

Quando a temperatura sobe, o corpo tende a perder calor através do suor, ajudando a resfriar o organismo. Porém, existe outra maneira de ocorrer esse resfriamento, através da dilatação dos vasos da pele – dessa maneira, o sangue passa mais perto do ambiente externo, conseguindo trocar calor. O problema é que essa vasodilatação baixa a pressão arterial, causando moleza e indisposição.

Para evitar essa sensação, o médico recomenda tomar banhos frios ou mornos, preferir a sombra e consumir bebidas refrescantes, como águas e sucos. No entanto, na hora de beber algum líquido, é preciso ainda tomar alguns cuidados – a contaminação em bebidas e alimentos aumenta o risco de diarreia nessa época do ano, já que o calor estraga a comida com mais facilidade. Por isso, é fundamental prestar sempre atenção na procedência dos alimentos, evitar perecíveis na rua, optar por alimentos quentes, tomar bebidas no copo para não entrar em contato com a embalagem e sempre lavar as mãos.

No caso do camarão, bastante comum nas praias, a alergista Ariana Yang lembra que algumas pessoas têm alergia e precisam tomar cuidado para evitar reações graves.

Os sintomas nunca aparecem no primeiro contato com o alimento, mas a partir do segungo, já podem ocorrer sérias reações, como explicou a médica. Para identificar a alergia, ela explica que o histórico médico e alguns exames são fundamentais.

 

 

 

 

Fonte: Bem Estar

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui