Prefeitura e Deltur se unem para enfrentar assédio dos flanelinhas

Foto: Ascom da Prefeitura de Porto Seguro
O assédio dos flanelinhas aos turistas e moradores de Porto Seguro continua sendo um desafio para a Delegacia do Turista (Deltur), que frequentemente recebe queixas contra essas pessoas, que muitas vezes, além de se oferecer para “guardar” os automóveis no Centro da cidade, acabam envolvidos em delitos como furtos, tráfico de drogas e extorsões.

Preocupado com essa situação, o delegado chefe da Deltur, Ricardo Feitosa, se reuniu com os secretários de Turismo, Guto Jones e de Trabalho e Desenvolvimento Social, Elio Brasil, que prontamente se colocaram à disposição da polícia, no sentido de viabilizar ações para enfrentar o problema.

A partir de uma parceria entre a Prefeitura e a Deltur, está sendo feito um levantamento das condição dessas pessoas, que insistem em permanecer nas ruas. O levantamento envolve informações sobre a procedência, passagem ou não pela polícia, e o desenvolvimento de uma série de ações, que incluem, inclusive, o pagamento, pela Prefeitura, de passagens rodoviárias, para que elas possam retornar a suas cidades de origem.

“A questão dos flanelinhas não se resume a um caso de polícia, pois são pessoas em estado de carência social e que se encontram numa atividade de subemprego, tentando obter renda. Só que além da carência material, eles têm problemas como alcoolismo e consumo de drogas, o que demanda também uma ação da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social para encaminhar essas pessoas e evitar que elas permaneçam nas ruas. Por isso estamos desenvolvendo essa ação conjunta com a Prefeitura, Polícia Civil, Polícia Militar e representantes do trade”, explica o delegado Feitosa.

Recuperação social

Segundo o secretário de Trabalho e Desenvolvimento Social, Elio Brasil, atendendo ao chamado da Polícia Civil, todos os dias várias pessoas estão sendo encaminhadas pela Prefeitura de volta para suas cidades de origem. “Porto Seguro atrai esse tipo de gente, que vem em busca de sobrevivência e depois fica pelas ruas, muitas vezes praticando crimes. Nos casos dos viciados em drogas que desejam se recuperar, temos encaminhado para o CREAS e para os centros de recuperação”, informa o secretário, acrescentando que estão sendo contratados mais três agentes sociais, que irão fazer um diagnóstico completo dos moradores de rua.

Para o secretário de Turismo, Guto Jones, a abordagem, muitas vezes agressiva, e os delitos praticados por flanelinhas comprometem o trabalho de captação de turistas, no momento mais importante, quando o visitante deveria ser bem recebido na cidade. “Esse ano tivemos um aumento de 30% no número de turistas. Mas todo esse trabalho de promoção e divulgação do nosso destino é prejudicado pela ação de pedintes, flanelinhas e ambulantes clandestinos”, constata Guto Jones. Segundo ele, o intuito dessa parceria com a polícia é tomar todas as providências necessárias para “aprimorar o receptivo, de modo que os turistas sejam bem recebidos e tenham sempre o desejo de retornar a nossa cidade”.

Fonte:Hilda Rodrigues /Ascom da Prefeitura de Porto Seguro

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui