Prefeitura de Itagi cria delivery de ‘kit covid’ com cloroquina e ivermectina

Foto: Reprodução/Facebook/PrPtefeitura de Itagi
Foto: Reprodução/Facebook/Prefeitura de Itagi

Mesmo sem estudos científicos que comprovem a eficácia dos medicamentos para tratar a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), a Prefeitura de Itagi, no sudoeste da Bahia, anunciou que começou a distribuir hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina para todos os moradores com sintomas de contaminação.

Na postagem, a ação é definida como “pioneira” e destinada “a todos os pacientes sintomáticos” de covid-19.

O município de 14 mil habitantes tem, de acordo ao mais recente boletim epidemiológico (12/7), 13 casos confirmados da doença, dos quais, apenas três seguem ativos.

A publicação não esclarece quais foram os critérios adotados para que os moradores os recebam em casa, uma vez que sua utilização necessita de prescrição médica.

Prefeitura não está autorizada, diz Fábio Vilas-Boas

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, informou que a Prefeitura de Itagi não tem autorização para realizar esse tipo de ação, uma vez que a dispensação de hidroxicloroquina só deve ser feita com a apresentação de receita médica e entregue por um farmacêutico.

Ele diz que acionará a Vigilância Sanitária estadual para apurar o caso.

“Não se pode fazer a distribuição dessa forma. Existe uma legislação que precisa ser seguida. A hidroxicloroquina é uma medicação que tem que ser dispensada por um profissional farmacêutico dentro de uma unidade [de farmácia]”, afirmou o secretário.

A profilaxia tem sido adotada em diversas partes do Brasil e o sucesso tem sido relatado por muitos, inclusive, há profissionais da saúde que recomendam os medicamentos.

Por outro lado, há os médicos que não recomendam nenhum dos farmácos, exatamente pela ausência de comprovação científica sobre a eficácia.

Informações: UOL

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui