Prefeito de Jussari representa a Amurc em visita à Brasília

Prefeito Antônio Valete, Orleans Mascarenhas Vereador de Jussari, Raul René Diretor CEPEX, Superintendente Guilherme Galvão, Erlon Botelho Diretor de Agricultura Itabuna e servidores do Ministério. Foto Ascom

O prefeito de Jussari, Antônio Valete, representou a Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano – Amurc, na visita ao senador Esperidião Amin, em Brasília, na semana passada, juntamente com o diretor do Instituto Chocolate, Erlon Botelho, o Superintendente da Ceplac, Guilherme Galvão e o diretor do Centro de Pesquisa do cacau (CEPEX/CEPLAC), Raul René Melendez Valle.

No encontro, os representantes das instituições apresentaram a importância da Ceplac, que ao longo de 62 anos de pesquisa, vem realizando transferência de tecnologia e educação produtiva, especialmente nas regiões cacaueiras dos biomas de Mata Atlântica e de Floresta Amazônica. No entanto, nos últimos anos, o órgão ligado ao Governo Federal vem sofrendo com a falta de recursos e redução do quadro de pessoal.

Com anos dedicados pesquisa, extensão, ensino e apoio ao desenvolvimento da região Sul da Bahia, os representantes da entidades temem o fechamento da única instituição que cuida da ciência e tecnologia da cacauicultura brasileira. “Nós queremos o fortalecimento do órgão e sabemos da sua importância para a região, e a Amurc, juntamente com os municípios que compõe a região e as entidades, vão estar apoiando”, destacou Valete.

Nesse sentido, foi solicitado ao senador Esperidião, a intermediação junto aos ministros da Agricultura e da Ciência e Tecnologia, bem como aos senadores dos Estados da Bahia, Rondônia, Pará, Mato Grosso, Espírito Santo e Amazonas, para que nos dias 12 e 15 de julho deste ano, realizem uma visita ao Centro de Pesquisas do Cacau (CEPEC/CEPLAC) bem como participem da abertura do Festival Internacional do Cacau, em Ilhéus – Bahia.

Demandas

A solicitação da visita a região é uma oportunidade dos ministros e senadores ouvirem a comunidade científica e os servidores da Ceplac, bem como agricultores. Além disso, verificar a necessidade de sucessão dos técnicos e servidores e evitar o “sepultamento” de pesquisas e experimentos produzidos ao longo dos 62 anos de existência do órgão, a contratação urgente de pesquisadores, técnicos e pessoal administrativo.

Ainda fazem parte das demandas levadas pelos representantes das entidades, o recrutamento de pesquisadores aposentados, o retorno da autonomia financeira e da condição de protagonista e órgão singular e não um simples Departamento do Ministério da Agricultura da Ceplac e propor a criação de lei especifica para a Política Nacional do Cacau.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui