Município é premiado em mostra da Saúde da Família

O município de Porto Seguro foi premiado pela apresentação do tema “A integração das práticas da Vigilância Epidemiológica (VIEP) com a Atenção Básica em Porto Seguro”, na I Mostra Integrada Saúde da Família e Vigilância à Saúde, em Salvador, no Centro de Convenções da Bahia. A apresentação, feita pela coordenadora da VIEP, Márcia Quaresma, foi parte das oficinas, palestras e painéis realizados pelos profissionais de Saúde Pública de diversos lugares do país. Para participar como palestrante, o município já havia sido escolhido pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) com o objetivo de compartilhar ações que tiveram êxito em sua realização.

A coordenadora destacou a finalidade da proposta em organizar o processo de trabalho, descentralizar as ações de Vigilância Epidemiológica na Atenção Básica, e promover educação permanente, observando o ambiente onde as pessoas vivem como ÚNICO para desenvolver as ações de saúde. A iniciativa promoveu nova definição de fluxos de trabalho e qualificação dos profissionais. Os principais resultados alcançados foram o bloqueio em tempo oportuno dos casos suspeitos das doenças rubéola e sarampo; 100 % de investigação de óbitos materno-infantil, de mulher em idade fértil e por causa mal definida, realizados por equipes da Saúde da Família; diminuição do tempo entre a data dos primeiros sintomas e o início do tratamento e cura dos casos de malária; profissionais qualificados e preparados para atuar em situações de risco, surtos e epidemias no município. Os dados, segundo o secretário de Saúde, Messias Boaventura, refletem a intensificação dos serviços desde o cuidado com as pessoas atendidas até o levantamento de informações estatísticas sobre cada caso. Uma iniciativa que, de acordo com o prefeito Abade mostra mais uma vez o cumprimento de metas no seu governo.

Para entender a integração entre Vigilância em Saúde e Atenção Básica

A atenção básica é conhecida como a principal porta de entrada do cidadão no Sistema Único de Saúde (SUS). Ela é entendida como um conjunto de ações no campo individual e coletivo para a promoção, proteção e recuperação da saúde. Em Porto Seguro é organizada em Unidades de Saúde da Família, formada por equipe multiprofissional, responsável por uma área (território) delimitada com cerca de mil famílias. Já a Vigilância em Saúde está associada a ações de vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental e saúde do trabalhador. A Vigilância Epidemiológica, por exemplo, é responsável por um conjunto de ações que proporciona o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores ligados a saúde individual ou coletiva, e tem a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos.

Quando se fala de integração da Vigilância em Saúde com as equipes de Atenção Básica é justamente a ação conjunta (Vigilância e Atenção Básica) para melhorar a organização do sistema de saúde, pois o ambiente, ou seja, o espaço onde as pessoas vivem, trabalham e cultivam suas crenças e culturas é o mesmo para o desenvolvimento das ações tanto da Atenção Básica quanto da Vigilância. A integração possibilita estabelecer prioridades nas intervenções para os problemas identificados na comunidade baseados na realidade de cada bairro e, consequentemente, as ações e serviços prestados à população se tornam mais eficazes e em tempo oportuno, visando a garantia da integralidade do cuidado. Essa ação conjunta é realizada pelos profissionais que atuam como co-responsáveis pelas ações de vigilância em saúde e assistenciais, respeitando as particularidades de cada perfil, integrando suas atividades de maneira a evitar a duplicidade das ações que, embora distintas, se complementam. Para o coordenador de Atenção Básica de Porto Seguro, Jânio Guimarães Junior, a integração é uma tendência sem retorno, pois torna-se cada vez mais necessário conhecer as necessidades do usuário para atendê-lo melhor; no entanto ela só acontece através de uma reestruturação profunda dos serviços de saúde, já que se trata de um desafio que exige de ações coordenadas entre diversos espaços e atores.

Apresentação de teatro na mostra – Línguas de Trapo e o combate à dengue

Em palco especialmente preparado para apresentações e manifestações culturais, o público assistiu às peças com temas bem pertinentes, como o combate ao mosquito da dengue. O assunto foi abordado pelo Grupo de Teatro Línguas de Trapo, formado pelos Agentes Comunitários de Saúde de Porto Seguro, especialmente convidados pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia. A dramatização chamou atenção pela criatividade, objetividade, capacidade de comunicar aos diversos públicos e pelo figurino, bem colorido. “É uma maneira de integrar a comunidade, e não só informar por meio de palavras. Esse trabalho serve de exemplo a ser seguido por outros municípios também”, opinou Cleber Moreira, agente comunitário de saúde da cidade de Mascote. A peça, em cartaz nos palcos da saúde há cinco anos, fala de um assunto sério, mas mostra de forma bem humorada o que acontece com quem não ajuda a combater os focos do mosquito Aedes Aegypti.

O Grupo de Teatro Línguas de Trapo atua em diversos eventos da Secretaria de Saúde de Porto Seguro, sempre levando à comunidade a reflexão sobre a importância de se prevenir contra doenças, com hábitos simples e ajuda de toda a população. “O teatro é capaz de transformar comportamentos. Quando apresentamos em escolas, por exemplo, as crianças já saem dali realizando as ações de prevenção que aprenderam. Elas são multiplicadoras da mensagem”, explicou Nadja Morais, presidente da Associação dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate a endemias de Porto Seguro.

 

Fonte: Ascom da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Seguro

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui